segunda-feira

Eu pedi, e só espero que ele me atenda.
Porque ano passado eu pedi e só veio meio.
Meu chefe odeia David Lynch, mas ele consegue atribuir o adjetivo "assexuado" a um texto.

Sim, oh sim, eu acabei de cantar o hit da Aretha Franklin, "Mister Blister"!

Eu tenho que convencer usineiros a contarem prá gente seus cases de sucesso. Meu entusiasmo vai ser muito persuasivo mesmo.

Estou com a mesma roupa há três dias, mas, não, eu não fedo.

Goiaba fio-dental, tanguinha branca, cuecona azul e sutiã mangá.

E agora vou jogar o jogo do desconhecimento inútil.
Born to please every simple need, I stand alone, in my thoughts indeed, hate you for ever making me, I'm in you, I'm your anything.
Come to me, let me hold you still, I'm so tired, just as tired as you, take me for anyone but me, all that you feel is never true.
Let roar these fears to the whore of my tears, pure as a lie, pour it into your eyes, suck me, like the sap from a tree, honey from the dew, from the bumblebees..
YEAH YEAH
And IIII want you
And IIII need yoooouu
And all you are is brand new
And IIII need... you...

Um Smashing Pumpkins descontrol era tudo o que eu precisava agora. Esse "yeah yeah" foi gritado, sim, e o resto foi cantado com a expressão doente do Billy Corgan no rosto.
Algo me diz que eu devo sempre ouvir os ditados antigos e ficar na minha, sempre na minha, esquecer o alheio e cuidar do que é meu. Porque a grande causa de tudo isso sou eu mesma, então se eu tivesse um pouco mais de poder de abstração e ouvisse o conhecimento popular, eu sofreria menos. E o sofrer é meu, eu que crio, eu que mato. Ninguém interfere.

E só pro meu melhor entendimento: Não, não tem como, fisicamente impossível.
Saco.
New Year's Resolution

Eu não vou espremer meu estômago hoje.
Thank you so much for sharing!
Acordo e me esterilizo um pouco mais diariamente.

domingo

Eu adoro a amnésia fisionômica do meu menino.
Cabelo marrom, unha marrom, e logo me transformarei em um jumento.
O dia foi fantástico e necessário.

sexta-feira

Após dez horas seguidas na frente de um computador, digitando e clicando e olhando e enfrentando a falta de internet, saí do escritório e, não menos confusa, fui comprar um chocolate. Paliativo para desapertar o incômodo, já que as dúvidas ainda me martelam de vez em quando, sem motivo. O que fazer? Por onde seguir? Isso é realmente válido?
A resposta se resume a tempo, o senhor da razão. E sabedoria, essa peço uma dose extra. Quem sabe agora eu pare de ser tão irresponsável.


Um brinde à Cidade Ternura!
hahahahahaha!!! Faz-me rir!
Tem coisas *BUM* que só Tatuí faz por você. Valeo, Ana!

joão florêncio forever.
a minha GATAM é JÓIA RARA.
bia bonduki estudou no BARÃO.
ela é uma REMANESCENTE da ESCOLA DOS TROMBADA de tatuí.

barão, barão, barão
entra burro e sai ladrão.


atualmente, bia estuda PUBRICIDADE.

As máximas de Ivone Bonduki, vulga Dona Onça:

"O saco de votar eletrônicamente é não poder esculachar no voto..."
Agora que eu terminei este...


quero ler este aqui
Spinner foi a melhor aquisição da semana. Yeah!
Bons meninos o caralho, meu nome é Zé Pequeno, PORRA
Fe-o-fó
de-e-u-deu
Fodeu!
Sinais de que eu voltei ao normal:
- Perdi a hora
- Estou descombinada
- Já mandei, logo cedo, o Dinho Ouro Preto e o Big Mountain tomarem no cu
- Prééé-guiiii-çaaaa

quinta-feira

Ããããiiiii, meu primeiro banner! Que lindo!



Por que eu gongo, e você?
Ando saudosa...
Às vezes, e só às vezes, eu devia parar de me precipitar e manter minha boca calada para evitar aborrecimentos.
Eu adoro a Ana Laura porque ela fala pro meu supervisor que eu sou sua GATAM.



Acabo de ter um pensamento tão egoísta que só de egoísmo eu vou manter ele para mim.
A presença onipresente e desnecessária de Vavá.... clap clap clap!
Antes eu achava que era porque eu não trabalhava. Quando eu tinha tempo de assistir TODOS os programas de fofoca da tarde, ele conseguia estar em três canais ao mesmo tempo, e, claro, falando asneiras em todos. O Vavá, aquele pagodeiro cara de fuinha por quem a Narlei Regina chorava na Casa dos Artistas - tanto amor que não deu certo. Eeenfim. Ontem lá estava ele naquele programa insosso da Marina Person (mas que saco, ninguém sacou ainda que essa mulher não dá mais). Tamanho era seu espírito JôSoariano que ele não deixava mais ninguém falar. Pobres Beto Lee e Cynthia Benini, que eram os únicos dotados de uma quantidade maior de neurônios e eram constantemente interrompidos por um comentário do tipo "eu subornava os guardas com cds meus" - esses guardas se vendem barato hoje, hein?
Não deu, uma parte do meu rosto já estava paralisando e eu não tive outra opção a não ser desligar a tv e ir ler um pouco. E rezar prá não ter sonhos/pesadelos com esse animal.
Acordei bem, às 6:30, tão bem que levantei na hora e comecei a me arrumar cantando "Cry Wolf". Mas bateu aquela preguicinha não-explícita, que me fez considerar voltar para a cama e eu voltei. Porque, antes de uma bundinha dura, eu preciso manter a minha sanidade. E eu dormi, sonhei, imaginei, revirei, ronquei, até umas 8:15, quando finalmente tive coragem de levantar e continuar meu ritual. Tão estranhamente bem que nem mandei o Renato Russo tomar no cu logo cedo.
Mas nem tudo são diamantes e jantares caros, e assim que eu pisei fora de casa, o vento frio me avisou que merdas viriam. Primeiro foi o telegrama, e, depois, o pior: assim que eu sentei no banco do ônibus e abri com um largo sorriso o meu livrinho, que está quase no final, uma vozinha esbaforida me chamou. O grande competidor sentou ao meu lado e veio disputando o "Concurso da Vida Legal" até o meu ponto. Grrrr...
Não deixarei de acreditar, não posso, meu dia há de continuar doce como cocada com fios de ovos (blergh).

quarta-feira

A salvação estava dentro de um brigadeiro, que eu comi com prazer em alguns segundos.
Eu joguei o jogo do currículo, da minha blog-mãe. Infelizmente ele nunca foi publicado, então, faço o meu aqui, sem esquecer de antes dar os créditos a ela.

Eu nasci de oito meses com o cordão umbilical me enforcando
Eu fiz análise com oito anos
Eu joguei minha irmã recém-nascida de uma mesa
Minhas tias me chamavam de "hanuni", que é fofinha em árabe
Eu tenho cílios curvados
Eu sei subir em árvore
Eu trabalho com quizzes
Eu já trepei ao som de "Kill the Poor"
Já tomei baculejo da polícia
Eu já fui no puteiro com um amigo
Eu já cuspi um shot tequila em cima de um namorado
Eu já quebrei todos os meus membros, mais o queixo e o maxilar
Tomei uma lambida no sovaco de um ficante
Viajei no mesmo avião da Daniela Mercury prá Disney
Sim, eu sou sobrinha do Nabil, cacete!
Diz a lenda que também sou parente do Hanna, Hanna-Barbera
Eu JÁ fui assaltada
Conheço o Caribe, mas não conheço o Rio
Eu já tive uma Thyrsa na minha vida
Já morei com uma família só de mulheres
Eu quase fui deportada
Tenho nariz adunco
Choro ao ouvir uma determinada parte de Foolish Games
Sou sonâmbula
Tenho constantes chiliquinhos
Gosto das expressões "incestuous union" e "heartless bitch"
Ainda tenho meu sotaque interiorano
Sou ciumenta e teimosa
...
por hoje é só
O que a saudade não faz...
Sim, no dia 10/10 às 21:40, estarei entrando em um ônibus da 1001 com minha malona e uma sacola de alcachofras. Não façam esse olhar de "tá lôca?", isso é um pedido da minha famélica mamãe, que diz não encontrar essas iguarias na Ilha da Magia. Aceito encomendas até o final do dia.
Muzzle
É foda!
Queria poder me auto-rebootar. O ideal seria botar um obstáculo que separasse os pensamentozinhos podres do resto da cabeça, assim eles ficariam lá, brincando e se reproduzindo, mas nunca maculando a parte boa do meu cérebro. Enfim, reclamar eu sempre vou, só queria que fosse numa constância menor, e com menos impacto. Ficar com essa cara de bunda, chora-não-chora, é insuportável.
...mas jogar o jogo do contente também não me satisfaz...

Só Trompowsky - Centro salva!
E ser acordada a noite também.
Ti Ti Ti
Sim, eu vou fazer fofoca, porque é um lado ruim meu que eu não expresso há algum tempo.

Dizem que... uma certa jovem escritora está arrastando suas asinhas para o representante maior da cultura industrial e besteirônica. Ele até já jogou amendoim nela, mas ela continua insistindo.

Dizem que... a recém-ex-namorada de um conhecido estava aos agarros com um horroroso ontem mesmo.

Ok, meu veneno já foi destilado. Obrigada, Nelson Rubens!
Eu revirei, revirei, repensei e não cheguei a nada além do que já estava apodrecendo aqui dentro.
Bia Collie and The Infinite Sadness

terça-feira

I've been working on a piece that speaks of sex and desperation...
aaaaaaaaaaaaaaart staaaaaaaaaaaaaar
tchutchutchup tchu tchu tchuru tchuru


Yeah Yeah Yeah's expressa minha ira em gritinhos. Obrigada.
Estou com Nhaca de Computador. Alguém tira esse monitor estúpido da minha frente?
DOMINGÃO


Let the phone ring, let's go back to sleep
Let the world spin outside our door, you're the only one that I wanna see
Tell your boss you're sick, hurry, get back in I'm getting cold
Get over here and warm my hands up, boy, it's you they love to hold
And stop thinking about what your sister said
Stop worrying about it, the cat's already been fed
Come on darlin', let's go back to bed

segunda-feira

Você sabia que "Thong Song" foi composta por ROBI ROSA?
Tá explicado....
Não falhei. Cedi.
Meu horóscopo bem que me mandou fazer isso.
Seria realmente necessário comentar que meu estômago está como uma bóia de descarga? E que o winamp que eu baixei é bárbaro?
Ok, comentei.
Se tudo der certo, não terei mais descanso por um bom tempo. Talvez por 250 quizzes/mês.
Allow me one stravagance...
Meu blog toma rumos de semi-abandono pela falta de tempo e de idéias. A tendência deste se tornar algo mais sério é forte. Me impeçam, por favor!
Pequenos prazeres no final de semana. Bem que ele disse: Prazeres são curiosidades mortas - se bem que eu ainda NÃO matei minha curiosidade de dormir em uma espelunca!

Enfim, teve uma festa foda, exposição de arte eletrônica, Sinais (blergh), karê, rabanada, alcachofras, fotos e, awwwnnn... um namorado lindo. Fora a visão fofa de todos e a sensação boa de ouvir o que se quer.
Começo a semana bem, com alguns pontos melhor resolvidos.
Satisfação de ter cumprido mais uma missão. Feliz.

sexta-feira

Hum... é. É isso, vou ali enfrentar uma chuvinha porque minha carona furou comigo. Depois tem festa e pheromones on riot. E amanhã, dia de muié.
So much to say, so little will.
Ouvindo The Bluest Eyes in Texas e cantando alto o suficiente para tirar atenção do meu chefe, que me olha por entre os monitores. Gosto de hamburguer e boca melecada. Esse é meu almoço pela terceira vez essa semana, e, quer saber?, foda-se. Segunda coca do dia e admito que estou adquirindo um vício. Obrigada, viu? Hoje à noite farei um banner e darei continuidade ao meu projeto "hohoho" ultra-secreto. Aliás, eu deveria começá-lo agora, mas tô sem saco. Um dia serei famosa. Olho ali as tarefas e tenho vontade de fazer um bunda-lelê prá elas. Choooove. Por conveniência, hoje terei carona. O que vai ser? Não sei, não penso mais, meus planos se estendem até dia 11, quando irei prá "casa". Pudera. Sei que não vai ser nada demais, que vou ficar parte do tempo me aborrecendo, mas antes me aborrecer ao lado dos que me conhecem do que aporrinhando quem não tem nada a ver com isso. Caralho, como eu tô soando reclamona hoje. Pior que eu não tô! Tô mais que bem. Preciso escovar os dentes....

e vocês acabaram de assistir mais um capítulo de "enxurradas cerebrais", por Beatriz Bonduki.
Antes burra do que implicante. Pacifier. Olha eu ali voltando com a farinha.

Ganhei uma música prá ouvir durante a noia! E amanhã comprarei calcinhas!
Eu só queria a minha consciência de volta.

Gabi, já era mais que na hora. Cervejas serão sempre bem vindas!

E já não era sem tempo. Meu pedido foi atendido e muito bem respondido. Queria ter mais fôlego.

Meu, que manhã doida! Ando tendo idéias macabras demais. Vim divagando sobre uma música do Netinho que eu ouvi no buteco logo cedo. Call the doctor.

E hoje tem tanta coisa boa prá fazer, que só me resta manter o bom humor e a insanidade.

Eu prometo que vou parar de falar merda. Caralho!

quinta-feira

Sou inconstante
Eu vareio

Merda, é chegada a AAM. Aparência Acabada Menstrual. Feia, inchada, com olheiras, pele ruim. Argh.
You've got me so confused when you used me so well
It amazes me how far you push and how far I will allow
Take my heart now stomp on it till it will not beat no more
Then you kiss me while you put it back in and ask me why my chest is sore


Essa música é foda.
A coisa que eu mais disse hoje já foi:
"Güenta mão que eu vou dar um reinício nervoso no micro"
Só FORMAT-REINSTALL salva!
Will it ever stop?
Yo! I don't know!
Turn off the lights
And I'll glow


porque Vanilla Ice é um whigger fidumégua
sono fom
can e
s saco
aç cheio
o

sopadelegumesbanhoecama

feliz!

Blergh! Poesia concreta polianesca.
E quando eu disse que o centro do mundo era a Tesla, e de lá saíam as adjacências, eu estava errada. O centro do mundo é muito mais amplo. Descobri um blog de nome classe, que por acaso é da namorada do Túlio. Ela é amiga do Guti e pagou pau pro site do homi. Ela também gosta de Pumpkins. Bem-vinda, Leka!
Estou insuportavelmente silly hoje. Felicidade Molico - satisfação, camisão branco, espreguiçadas longas -, trancinhas no cabelo e piadista bragarai. Às vezes eu tenho medo de mim mesma.

quarta-feira

As conversas mais CAPS LOCK do momento.
Com vocês.... o querido do Briga-Comigo e Mana Laura
Meu nome de Drag-queen é Teté Dias
Parece nome de crítico de cinema...

Meu cabelo está FUNKY.
Grande Túlio Inoue deu uma retocada na nossa foto. Clica aqui prá ver o efeito.
Nota: o Túlio tá parecendo um chinês do Cine Soco.
Hum... prá quê, né?
Foi só beber que meu figo amanheceu estragado...
Saco.
Deixe Dinah Washington animar seu dia...

No-one to talk with, all by myself,
No one to walk with, but I'm happy on the shelf.
Ain't misbehavin', I'm savin' my love for you.

I know for certain the one I love
I'm thru with flirtin', it's just you I'm thinkin' of,
Ain't misbehavin', I'm savin' my love for you.

Like Jack Horner in the corner,
don't go nowhere, what do I care,
Your kisses are worth waitin' for, believe me

I don't stay out late, don't care to go
I'm home about eight, just me and my radio
Ain't misbehavin', I'm savin' my love for you.
Parabéns pro Górdon, meu pai gordinho que comemora 56 primaveras hoje! E pros irmãos Zander também!
E em homenagem ao gordo, tô ouvindo Demônios da Garoa logo cedo.

O Arnesto nos convidou
Prum samba ele mora no Brás
Nóis fumo e não encontremo ninguém
Nóis vortemo com uma baita de uma réiva
Da outra veiz nóis num vai mais
(Nóis num sêmo tatu)

terça-feira

"Na minha familia tb é assim. Tem os arabes white-trash e os niggas."
Papinho fim-de-tarde ótimo com ela.
Eye

I lie, I wait
I stop, I hesitate
I am, I breathe
I meant, I think of me
Is it any wonder I can't sleep?
All I have is all you gave to me
Is it any wonder I found peace through you?
Turn to the gates of heaven, to myself be damned
Turn away from light
It's not enough, just a touch
It's not enough
I taste, I love
I come, I bleed enough
I hate, I'm not
I was, I want too much
Is it any wonder I can't sleep?
All I have is all you gave to me
Is it any wonder I found peace through you?
Turn to the gates of heaven, to myself be damned
Turn away from light
It's not enough, just a touch
Hoje tem cerveja + Marina no Barxaria!
Pah-fect!
A friend is a four lettered word [photo version]

DIMIBON!
Don't ask!


Evel Knievel rocks da boat!
Acordar e dar um sopro forte.
Funcionou.
Prazerzinho:
Chegar na aula, descobrir que ninguém foi, descer no café e, entre papos politizados e divagações sobre a vida atual, comer torta de palmito, torta de limão e tomar suco de manga. Tirei fotinhos e fui chamada de Dimibon.
Dimibon, dimibon, dimibon...
(Se eu não me engano, é um gatinho japonês, mas foi usado no sentido de coisa fofa.)
Preconceitos necessários
O preconceito necessário de hoje é contra as empregadas. Antes de tudo eu queria agradecer a Maria de Fátima por ter me dado o prazer de ter que me desprogramar para ficar dobrando roupa e “reestruturando” a distribuição do varal.

Como diz minha sábia mãe: se fosse esperta, seria sua patroa. Não são. Ou se fazem de burra, a começar da má vontade e teimosia que acompanha o pacote. Nunca estão satisfeitas. Sempre têm um problema, uma dor, uma insatisfação a ser declarada justo na hora que você está saindo de casa para ter um dia feliz. “Mas sua casa tá muito xuja”. Grande merda, te chamei aqui exatamente por isso, ou você achou que era prá fazer visita?
A minha veio no domingo. Ainda perguntei se não seria muito puxado, mas a gananciosa insistiu (vim a descobrir depois que essa é uma tática antiga sua: se fazer de vítima).Tá, então também não reclame! Imagina, era 10 da manhã e ela já tinha tocado o circo dentro do meu apartamento. Reclamou até que agora tem que arrumar duas camas! Tudo bem, limpou direitinho, mas se recusou a passar a roupa porque a secadora estava quebrada. Te vira, ‘Bastiana! Quando eu não tinha nada em casa, mesmo assim eu dava um jeito. Ela não, ficou revoltada e EMPILHOU as roupas no varal e na cortina da sala. Até um mico sabe pregar roupa no varal! Enfim, toca eu, 50 reais mais pobre, pendurar tudo de novo. Raiva. Essa tá na rua.
Termino o preconceito de hoje com uma mensagem: Acabo de ver um livro na banca que ensina a se exercitar limpando a casa. Vou sair da academia e partir pro lerê.
Humpf!

segunda-feira

Como ser legal nunca veio em tão boa hora. Ou, como diz o ditado, "Rode a língua duas vezes dentro da boca antes de falar besteira".
O que vale mais: a ostentação - por mais que talvez inexistente - da grande clientela, ou a omissão do comentário para se gerar uma amizade em potencial?
É por isso que eu me calo. Nunca se sabe o dia de amanhã.
...
Vixe! Tô escrevendo igual que nem meu namorado!
Mais Sleater: Burn, don't Freeze!
Finalmente, sorrio por completo. Terminei o meu implante.
Pros que não sabem....

Historinha de Horror
Eu tinha 14 anos, um sorriso perfeito e um espírito rebelde-sem-causa, típico da idade. Após uma briga com meus pais, peguei minha bicicleta, meu então namorado e sumi. Pegamos a estrada de cascalho, e, sem breque, desci. Needless to say, me espatifei no chão assim que terminei a ladeira. Na hora, com a boca amortecida, só senti uns dentes fora do lugar. Meu namorado, que ria, ficou branco ao me olhar. Daí até o pronto socorro eu não me lembro de nada. Chegando lá fui examinada, costurada - tinha um segundo sorriso no queixo -, e diagnosticada: um dente perdido e uma fissura na maçã do rosto, nada com o que me preocupar. O caralho! Meu queixo tava bambo por dentro e eu não fechava a boca direito. Por sorte, meus tios ortopedista e endodontista jantavam juntos e a gente correu prá São Paulo encontrá-los. Outro diagnóstico: queixo quebrado ao meio, côndilos em migalhas. Começou a saga e, após três cirurgias, placa de titânio, remoção da mesma, enxerto ósseo, outro dente a menos, enxerto de tecido, fugas do dentista, falta de grana, anestesias e dias, muitos dias sem comer, finalmente terminei o implante. Sete anos! O melhor foi que ninguém, nunca, percebeu o buraco. Agora sorrio feliz com a dupla branquinha na boca!
Gabi-Vixen estava certa: Oh my!
Sinto falta de sentir falta.
Mentira, a saudade de casa anda me incomodando.
Hum, mesmo assim, preciso sentir falta, ficar com o coração apertado só de pensar, dar suspiros altos e não me agüentar quando puder matar a saudade. Curtir mesmo. Faz mal, mas a recompensa é boa.
Quando você perde a hora, acorda com olhos inchados, milhões de picadas de mosquito pelo corpo, e derruba chá na mesa inteira, é sinal de que o dia vai ser longo.

domingo

Beatriz, the monkey payer.
Blusa florida de gola canoa, cinto de metal dourado e vermelho, legging cinza cintilante, escarpin lilás e sainha branca. Desce a Álvaro Alvim aos trancos, porque mal sabe andar de salto. Foi recepcionar o show do coral. Beatriz gosta de um miquinho, sim!
Quando vejo que meus esforços estão sendo em vão, tendo a optar pelo mais dramático, porém mais barato: largo mão. Ultimamente tenho deixado de lado essa prática, mas ela ainda me ronda a cabeça. Por mais infantil que seja essa atitude, tenho tido muita vontade de largar mão de algumas coisas. O velho "saco cheio de quartoanista".

sexta-feira

Descobri que tenho um fã. Ele pede meus textos, fica admirado quando os lê e fala que eu devia escrever mais. Ufa, até que enfim alguém que me apoia.
Vou ver se negocio com ele um site sóóó meu.
Tô bege!
Acabo de ganhar um conjunto de calcinha e sutiã num sorteio do trabalho. Bege. E o sutiã é 44. Ah, foi de graça mesmo.
Ah, just for the record: Não virei evangélica, longe disso, mas ando tendo longas conversas com o JC.
Obrigada a quem me converteu.
Hoje me ausentarei por falta de saco.
Está em minhas mãos. Bem aqui, no meio da minha palma. Cabe a mim pedir por mais sabedoria.

quinta-feira

Eu funciono como uma privada: quando a coisa fede, é melhor dar descarga. E feder inclui deixar de fazer a ligação inter-neurônica, deixar a língua em funcionamento remoto e contorcer o estômago por puro prazer em sofrer. A descarga é quando eu vejo, com cara de tatu, todo o estardalhaço que provoquei, à toa. E aí eu me envergonho, mas bate um aliviozinho sim.
Não haveria de mudar agora, mas com o tempo eu vou deixando essa prática de lado...
Cut The Crap
Back by popular demand
(leia isso com voz de narrador de filme)
Olha a hora e eu ainda não senti um pingo de fome. Weird. Pedi um sanduíche só prá constar, mas nem sei se vou comer tudo. Bleh.

Fui agora ver o resultado e... putamerda! Ficou feio prá caramba! Mas já não era bonito mesmo...

Não, não adianta. Quero que as horas voem hoje.
Queria um "repetiola", aquele aparelho dos Jetsons.
Melhor, eu quero um ABS Trator.
Uma concha de sopa no meu cérebro would do just fine.

Ei, mas logo hoje eu não vou ter nada prá fazer aqui, não?
Como eu disse antes, acabei de enfiar tudo no cu, agora com passagem mais livre.
Nem eu me entendo. E confesso sentir medo de mim mesma.

Mulheres, um conselho para a vida:
Se for prá depilar tudo, que depois façam bom proveito. A dor tem que ser recompensada.
Ainda bem que eu deixei a obtusidade falar mais alto, ainda bem que eu saquei antes que a minha complacência ingenuidade ia acabar me fazendo tomar no cu, porque realmente a raiva que eu estou sentindo agora é só um modo de acreditar que eu tava certa. Oquei, vou fazer tempestade em copo d'água sim, porque estou em posição de fazer mesmo. Odeio omissão, ser feita de palhaça, por mais suave que a coisa tenha sido. Vai passar, eu vou enfiar no cu tudo o que disse agora porque eu sou uma imbecil covarde, mas se eu pudesse vender a raiva que está dentro de mim agora, eu ficaria milionária.
zzz....
Do nada. Assim que eu gosto. Do nada eu acabei juntando quem eu queria em casa (Jorge, Gé e Helô), bebendo como eu queria, comendo pizza de escarola e dormindo, ai, que bom, com o gatinho.

quarta-feira

Ouvir Ella Fitzgerald + Louis Armstrong no fim de tarde é quase como ter um orgasmo. E eu não estou subestimando nenhum dos dois.
Maldito esquema de trabalho que nos trata à base de recompensa, como um modo de esvaziar o depósito de brindes.
Já ganhei uma mala, um livro, e agora uma sacolinha com brindes indecifráveis: duas estatuetas, um boné e dois "coisos" de material de saco de lixo de carro. Ah, e a revista MTV, mas essa eu não vou jogar fora.
aaaawwwwwnnnnn...
passo mal de saudades...
CHAMPS ÉLYSÉES

Je m'baladais sur l'avenue, le coeur ouvert a l'inconnu.
J'a vais envie de dire bonjour a n'importe qui
N'importe qui et ce fut toi, je t'ai dit n'importe quoi,
Il suffisait de te parler, pour t'apprivoiser.

Aux Champs-Élysées, aux Champs-Élysées
Au soleil, sous la pluie, a midi ou a minuit,
Il y a tout ce que vous voulez aux Champs-Élysées

Tu m'as dit "J'ai rendez-vous dans un sous-sol avec des fous,
Qui vivent la guitare a la main, du soir au matin".
Alors je t'ai accompagnée, on a chanté, on a dansé
Et l'on n'a même pas pensé -- a s'embrasser

Aux Champs-Élysées, aux Champs-Élysées
Au soleil, sous la pluie, a midi ou a minuit,
Il y a tout ce que vous voulez aux Champs-Élysées

Claro, na versão NOFX!
E o atentado, hein?
Ah, bão era no tempo do Figueiredo...
A unicidade de cada dia era o que me salvava da irritação.
Não deixe isso acabar. Não olhe para a luz. Queroláine nããããooooo!!!
Estou com um pavio deste tamanhinho hoje. Só morango no café da manhã salva.
Ah, não é prá tanto, vai...
Eu ia postar Morning Song, mas estou com vontade de mandar a Jewel tomar no cu.
Entendi, sei que entendi tudo errado, mas quero deixar a obtusidade falar mais alto.
De-sis-to. Empurro com a barriga, como tudo que faço na vida. Não, por enquanto não. E engole esse bico.

terça-feira

A banda do Creido, meu mais novo.
Continuando o desprezo de Beatriz

...sim, porque eu cheguei à conclusão de que eu não sei esconder meu desprezo por algumas pessoas, sai sem que eu queira. Ao mesmo tempo, eu queria ter um sangue mais sulitaliano para poder ser também grossa ao extremo. Essa grosseria seria usada em situações como a de hoje de manhã, que eu queria ter levantado e ido sentar no fundo do ônibus.

Enfim...

- E aí, gostou do meu presente?
- Er... é, legal.
- cri cri cri... pesado né?
- É.
Assumo minha covardia me ausentando e me abstendo de comentários.

Bia em jururu mode. Ou assim dizem.
Um minutinho pela tia Adélia, tadinha...
Minha tia mais velha do lado Estefano-Bonduki acaba de falecer, como previmos há alguns meses, quando foi a vez de seu marido. Eu nem era tão próxima, mas senti bastante com a notícia, afinal ela vinha sofrendo há anos. Cabe a mim representar meu pai, ou seja, tô indo lá no velório.
Acordei com vontade de ouvir Charo.
Dance! a little bit closer!
Vou ali botar minhas polâinas.
Mais sobre o que me enche...

- Não, não e não! Eu odeio música eletrônica, tá bom assim?

Hey DiJêi, aperta o play!
Eu ODEIO pessoas que competem ao invés de conversar.

- E aí, como tá a vida?
- Estou trabalhando num lugar foda, com um chefe que é uma puta porta de entrada, e eu sei que vou me dar bem. E você, continua lá naquele sitezinho? Quanto você ganha?
- Er... esquece. Olha que cara estranho ali na rua!

Na boa, não dá nem vontade de continuar. Fede insegurança à distância.

segunda-feira

É a tendência. Como desculpa para as merdas do dia a dia, hoje em dia é legal ser loser.
Ninguém mais se fode, apenas coleta material para no outro dia despejar em seus blogs mais um comprovante de sua "perdedorisse". A moda é se vangloriar de estar na merda. É um lance quase gótico, ficar ouvindo músicas que reclamavam da vida e se sentir assim. Bon Jovi já fazia isso há muito tempo, com excelência. E eu já fazia isso com 13 anos. "Eu toco o puteiro!", aí no outro dia morre de ressaca moral, mas, so what, é muito mais legal assim, meus amigos me aceitam mais.
Come on...
Hoje é dia de UKULELE!
Talvez se eu parar de escutar Mariah Carey no trabalho, minha cabeça volte a funcionar normalmente...
Fim de semana do cu mentado (hum? hum?)
Agora sei mais sobre os beatnicks, sobre JD Salinger, sobre os atentados, e até sobre o "Gianne".
E também aprendi que exagero pode ser bom.
Ainda acho que a minha pseudo, porém existente, complacência vai me fazer tomar no cu.

domingo

casa, casa, casa...
Aceito doações de folgas no trabalho, bilhetes de avião ou até mesmo de ônibus.
Alguém queria saber como comer o cu de um garoto de programa e acabou no meu blog. Olha, aí no caso eu não poderia estar te ajudando...
É, tô engolindo o ciúme e o medinho e partindo prá cima. Detesto quando eu torno as coisas "my way or the highway", mas agora eu posso. Ou senão eu não faço.

O fim de semana tá feio e até agora o que eu fiz foi comer carré de carneiro com risoto de palmito, e comprar uma malha com um L de "lésbica", segundo ele. Quero forças prá ir ao cinema, cozinhar e ler mais. Arhh...

sexta-feira

Aconteceu, virou manchete!

Aproveitei minha ida à Pinheiros para tirar os pontos da "cesariana" e fui almoçar com o Jorge no Alternativa. Reza a lenda que lá só se entra se você for cineasta, teatrólogo, produtor cultural, ou do meio. Entre conversas sobre a vida alheia, mascávamos folhinhas e tomávamos suco de alfafa com maçã (adouro). Meu estômago diz obrigado, depois de uma dieta de chinês meleca+coxinha e coca+chilli "a flor de zíaco". Preciso fazer mais disso.
Dizem lá no colégio que a moda é tirar fotos com cara de "a gente se agarra muito no banheiro da Lôca". As bolachas mais gostosas do pacote estão lançando moda no centro acadêmico!

--x--

E as palavras mais procuradas no meu blog são:
funny fuck
girls to get even
vaca de merda
massagem tailandesa

e como montar um catavento
Alles Gute zum Geburtstag
Hoje, entre olhos inchados, fugas da gaiola e visitas à lavandeira, Clementina Hamster faz um ano de vida na minha casa. Não sei quando ela nasceu, acho que uma semana antes de eu ter comprado. Hoje ela comerá cenouras, sementes e ganhará algum mimo de sua relapsa mãe.
Me senti a maior porca nera do universo fazendo o que acabei de fazer, mas tem coisas na vida que são extremamente necessárias.
And we have a winner!

From: gabriela sampaio
To: Ana Beatriz Bonduki
Sent: Friday, September 06, 2002 5:34 AM
Subject: mingauuuuuu

bia,
aquilo no carpete não era mingau...
eram criancinhas que ainda não tiveram a oportunidade de nascer!
xxx
gabi


A vencedora pode passar para retirar seu prato de miojo com bacon!
clap clap clap...

quinta-feira

- Uhn... não, não quero ser sua amiga, ok?
- Mas esse site é tão legal e...
- Vira prá lá e continua conversando com a parede.
- Ahn...
- Designer chato, sô!
Estômago, nem vem gritando, porque hoje eu vou sim comer uns burritos!
Tudo o que eu mais precisava agora era entrar num condomínio no meio de mato e ar puro prá ver crianças jogando tênis e lembrar de quando eu ia com a minha raquete vermelha ter minhas aulinhas. A tarde sem sol, a equipe reclamona, o cheiro de pinheirinho e a ausência de responsabilidades.
Escrevo isso em posição fetal.
PJ, me mata!

Eu perdi meu coração
Embaixo da ponte
Práquele homem graaaandeee
Que é tudo prá mim
E agora eu gemo
E agora eu griiito....
Sou feliz por finalmente chegar a um mundo onde não existem super-heróis.
Eu odeio meu útero. Se ele é tão inútil assim, que ao menos não me engravide.

quarta-feira

Promoção "Complete a Frase"

Aquilo no tapete não era mingau...

vale uma "janta" na cozinha de casa.

--x--

Amanhã irei para Cotia entrevistar um tenista que eu nunca "ouvi" mais gordo! Terei em minhas mãos uma câmera digital até o fim do dia. Alguma idéia?
Isn't it strange How we move our lives for another day Like skipping a beat What if a great wave should wash us all away Just thinking out loud Don't mean to dwell on this dying thing But looking at blood It's alive right now Deep and sweet within Pouring through our veins Intoxicate moving wine to tears Drinking it deep Then an evening spent dancing It's you and me This love will open our world From the dark side we can see a glow of something bright There's much more than we see here Don't burn the day away Is this not enough This blessed sip of life Is it not enough Staring down at the ground Oh then complain and pray more from above Greedy little pig Stop just watch your world trickle away Oh it's your problem now It'll all be dead and gone in a few short years Just love will open our eyes Just love will put the hope in our minds Much more than we could ever know Don't burn the day away Come sister my brother Shake up your bones shake up your feet I'm saying open up And let the rain come pouring in Wash out this tired notion That the best is yet to come But while you're dancing on the ground Don't think of when you're gone Love love what more is there We need the light of love in here Don't beat your head Dry your eyes Let the love in there There are bad times But that's ok Just look for love in it Don't burn the day away Look
Here are we On this starry night staring into space And I must say I feel as small as dust Lying down here What point could there be roubling Head down wondering what will become of me Why concern we cannot see But no reason to abandon it Time is short but that's all right Maybe I'll go in the middle of the night Take your hands from your eyes, my love Everything must end some time Don't burn the day away
Desde que a Madre Paulina virou santa, eu me sinto cada vez mais lisonjeada em querer ser como ela. Em outras palavras, I wish I could heal your pain.
Wish list:

Livros
Seis contos na era do jazz - F.Scott Fitzgerald
Nine Stories - J.D. Salinger

DVD
Twin Peaks - David Lynch
(só R$19,90 nas bancas - E DAÍ que eu não tenho DVD? Conheço um monte de gente que tem!)
Aprendi uma coisa: dwelling prá mim deve ser proibido. Devo tomar as coisas como são, fatos, e não pensar mais nisso. Minha cabeça faz tudo tomar dimensões enormes!
Vivo melhor assim, com o "quem liga?" em modo turbo.

Sweet Caroline por Me First & the Gimmie Gimmies é bão!
Beatriz em sappy mode

Fui mudada de lugar novamente. Não, não vou reclamar, prometo! O lugar é ótimo, ninguém me vigia, a Mari continua do meu lado e a minha mesa é de diretor - em outras palavras, mais espaço pr'eu bagunçar. Minha cadeira também é de diretor, mas já reclamaram. Consigo ver um pouco do céu, dá prá saber se está chovendo ou não. Posso fazer caretas por cima do monitor para o Gui e o Viktor. A dupla dinâmica agora só me enche por e-mail.
Ah, os males que vêm prá bem!

terça-feira

E de repente me bateu uma coisa, os 10 segundinhos de mega felicidade, ao som de Stand Inside Your Love, um aperto gostoso no peito, um sorrisinho escapando da boca, suspiros dados com a boca aberta, whew! Passa rápido, e eu queria que existisse uma droga que me mantivesse assim. É quase um orgasmo, só que no peito, e dura menos, mas seus efeitos permanecem em uma felicidade que faz brilhar os olhinhos. Quero mais!

saintfolie (3:51 PM) :
era isso que eu queria te falar. eu to com saudade Bia. Faz quanto tempo que a gente não se fala direito. E eu sinto falta, não é ciúme, nem nada, mas tem coisa que eu só gosto de contar pra vc, entendeu? E também fazer coisas, sair, ir no cinema, almoçar no indiano, no súbito...ou até mesmo não fazer porra nehuma na sua casa e ficar falando merda a tarde inteira.

E eu que achava que ninguém dava falta de mim. Queridas, eu sinto, e muito a falta de vocês, mas me perdoem por ser uma amiga acomodada, que está vivendo um momento autista e bom.
Caro Coradazzi:
Eu não quero saber quem deu talidomida prá mãe do Saci! Existe uma palavra chamada coincidência, sabia? E, antes que eu me exalte, devo lembrar que você está entre os que mais visitam meu blog! Blé!
hihihi, convenhamos, eu não trabalho muito mesmo....
Quando eu fico com uma orelhinha dobrada, caída em cima do olho, o que me salva é aquela massagem tailandesa no meu ego. É saber que eu sei ser fodona, não por conclusão própria - eu não tenho essa capacidade - mas sim pela falha alheia. As pessoas acabam mostrando isso sem que eu peça. A mim só resta agradecer e sacudir a bundinha prá elas. Viu, viu? Toma essa agora! Sim, eu estou bem posicionada no geral. Se eu for contabilizar meu lucro/prejuízo, eu ando bem prá caramba e nem tenho que reclamar. É clariviente, menos prá mim, óbvio.
Obrigada por contribuírem com meu momento superegoexacerbado, fico mais que feliz!
Hum... esse hidratante tem um cheiro bom...
E meu rosto tá lisin lisin...
Drunkass

Descobri que um dos motivos da minha chatice é abstinência alcoólica, mas também de que adianta beber sozinha? Então eu aguardo oportunidades para trincar o caneco, dar relaxo e ser expulsa de bares, tal qual a vez que fui no Batidão. Posso ter comigo os abstêmios, eles cuidarão para que o cachorro não lamba minha boca, se não estiverem tão entorpecidos pelos tóxicos de preferência. Quero esbórnia, cabeça rodando, língua mole, palavras desconexas, digitar tudo em russo no outro dia (quando eu venho trabalhar de ressaca, eu tenho preferência pelo idioma russo em minhas digitações), dar gritos sem motivo, chorar-babar-ranhar, falar verdades de bêbado, tropeçar, cair, dar com a canela em tudo. Quero que baixe um Sid Vicious em mim, e que no outro dia eu não tenha ressaca.

Juju querida: E A NOSSA CERVEJA?
Acordei chata. Tão chata que foge do meu controle. Mossilábica e pensativa, birrentinha e avoada. Quero voltar prá debaixo das três cobertas, prá dentro do blusão de rugby e pro meio dos braços que me abraçam direitinho enquanto eu durmo. Hoje eu não precisava ter acordado prá comer quiche com coca no café da manhã, ouvir pérolas da ignorância brasileira no ônibus e mais merda no trabalho. Não, não quero. Quero ir pro mato, ir prá casa dos meus pais, ir prá sei lá aonde desde que eu possa ficar olhando o céu e jogando conversa fora. Quero passar o dia trepando e comendo pudim de leite condensado em seguida. É isso, vou passar o dia imaginando que estou no meio de uma trepada maravilhosa e ficar revirando meus olhinhos aqui.
Beatriz em Charlie Brown Mode.

segunda-feira

O Maravilhoso Mundo dos Homens:

- Ah, e ela tem um monte de furo na bunda, parece laranja!
- É celulite, Davis, esse é o nome...
Música para ouvir no frio, balançando a cabeça lentamente e até arriscando uns falsetes (she'll uneeeeease youuuu):

Her hair is Harlow gold,
Her lips sweet surprise
Her hands are never cold
She's got Bette Davis eyes
She'll turn her music on
You won't have to think twice
She's pure as New York snow
She got Bette Davis eyes

And she'll tease you
She'll unease you
All the better just to please you
She's precocious
And she knows just what it
Takes to make a pro blush
She got Greta Garbo Stand off sighs,
she's got Bette Davis eyes

O fim de semana foi besta, foi sim. Mas isso não me fez diferença, afinal eu tenho um certo apreço pelo besta. Eu gosto sim de ficar à toa, fazendo nada, olhando pro céu e mascando capim. Por isso, prá mim, foi bonzinho. Eu li, fucei em livros de arte, fiz trabalho, exagerei, comi muito bem, dormi bem, comprei um livro, cuidei de mim e dele e da Clementina e descansei.
Eu estava num carro com ele e com mais alguém que eu não lembro quem era. Íamos a milhão procurar o salão da Cleusa, que tinha mudado da praça prá uma rua do arrabalde de Tatuí. Queríamos falar com a irmã dela, uma menina infeliz que tinha mudado seu nome para Christiânny. Batíamos e derrapávamos a cada curva e eu estava sem cinto, com medo de morrer. Acabei em uma academia de natação, na qual eu era uma intrusa e tinha um puxa-saco a tiracolo, o Paulo Serafim, um moleque que fazia natação comigo em São Roque.
O sonho acabou quando a Bebel me deixou na Cardeal, e eu entreguei a ela uma nota de dez reais, e eu senti que ele tinha ido embora e me largado sozinha.
Sol + vento = enxaqueca.

Eu consigo fazer de uma manhã bonita um motivo prá reclamar. À toa.