sexta-feira

do you remember lying on the ground
you were smart and spooky
we rented a car and left our bands
and drove outside the city
I remember the view
it was the stars and you
we thought that this was the one
both of our ships had come

when I went away you made me a book
full of goodnight letters
I answered each one and we made plans
for when we'd be together
but when we wanted more
and told you I wasn't sure
it started a storm
you think it's all my fault
I think it's all your fault

but we were never so together
everywhere we went
was everywhere we went
some people thought we were fighting
trying to read each other's writing
how can you resurrect straight into a wreck
Muse

Ótima pedida para finzinho de tarde,
mas tem que ter spooky, do Nada Surf em seguida
Constatando

"Os beijos mais memoráveis de minha vida foram também os mais proibidos."
Ontem foi o dia que Deus olhou prá mim e disse:
- Hoje ela vai ter que sambar miudinho.
Fui lá, botei meu biquíni de lantejoulas, minhas plumas no ombro e sambei. Ah, como sambei.
Eu não queria começar uma briga por blog, aliás, acho o fim da picada isso. Quer coisa mais adolescente? Acontence que isso envolve meu nome de alguma forma.
Sim, dondoca, eu peguei ela e daí? Tava ali, de sainha curta, me dando altos moles.Tenho culpa se a cama da tua mãe era o mais acessível? Não me diga que não pode me dar voto de confiança, você falou que eu podia me sentir em casa. Agora, não admito ouvir bronquinha de gente que não assume as próprias atitudes. Ou você quer que eu fale aos quatro ventos que você dava pro teu primo até os 19 anos?!
Se liga, japonês!

quinta-feira

Alguém aí me arruma um pote de pó de guaraná?
A noite vai ser longa e eu não tenho nem café.
Não estude com afinco: tio Jimmy pode te achar gatinho e te livrar da prova.

Foi o que aconteceu. Assim que ouvi meu nome, um elefante desceu das minhas ancas e eu fui feliz enfrentar doze lances de escada no escuro mais um placar maior a meu favor. É, negada, o ano tá acabando...
Mentiras que um dia disseram sobre mim:

- Essa menina é superdotada! Já sabe ler e escrever com quatro anos recém-completos!
meu avô

- Ah, a Bia vai ser alta, com mais de 1,70m.
meu médico

- Os olhos dela são verdes-acinzentados.
minha mãe

- Você tem síndrome do pânico.
um médico plantonista

- Nossa, você é a mais desencanada, né?
minha orientadora de pge

quarta-feira

Muito medo!

"Cobiçado" entra no ICQ:

Eu - Quem é você?
Cob - Luís.
- E por que me procurou?
- Prá tc, gatinha!

Tem horas que só ignore list/ increase security salvam!

Só se fode quem vive
Quem se acovarda finge que tem uma vida.

Drops de sabedoria by 20 fingers
Busta Rhymes
Stone Temple Pilots
Sublime
Deftones

make my day
O Pederágio

Se você já passou na esquina da Praça Dia do Senhor com a Brigadeiro, já deve ter sido abordado por verdadeiras bixinhas pão-com-ovo, que pedem dinheiro para não sei o quê. Não sei o quê mesmo, porque nem eles sabem prá que é o dinheiro. Aí eles inspiram um tanto de arrogância e despejam em você ao te abordar.
- Oooi, meu béin... você não gostaria de contribuir com a nossa causa (sic)?
Se você fecha o vidro, eles esmurram a janela dizendo que é bem típico dessa classe ignorar "os pobre". Se você diz que não tem, eles te xingam. É, a saída é dar dinheiro, ou chamar um grupo de punks-oi para se defender.

O pederágio é mais uma nova forma de mendicância em Sâo Paulo, porém com um pouco mais de brocal (porque glitter é prá quem pode) e todo o glamour do Jardim Ângela, só para você!
Eu estava a poucos passos da salvação, até que tropecei...

Para os que não sabem, ostento uma carteirinha de associada do Clube das Metáforas Infames

terça-feira

No fim minha angústia era inválida, afinal, como sempre, eu posterguei as coisas.

Minha mãe falou algo muito interessante agora: meu brio é inversamente proporcional à minha preguiça. Ou seja, sou um exemplo bíblico da humildade, porque, caramba, como eu sou preguiçosa!
Repetindo posts

Vamos lá, comigo!
Pã parãmpãm pã pã parã

Essa é a dança do manquinho.
Se você nunca dançou, tá na hora de aprender
A nova dança do manquinho
Se você nunca dançou, tá na hora de aprender

Me diz quanto você mede: 1,60
Me diz quanto você mede: 1,80
Me deparei com a urgente falta de tempo e o excesso de responsabilidades. Suficiente para me tirar o sossego da cama e me fazer vir trabalhar com uma maçã entalada na garganta. Não vou reclamar, acredito que a salvação esteja vindo a galope. Vou contar os dias para o fim da minha vida acadêmica e me apoiar nos ombros que me compreendem. Render é a palavra de ordem. Devo sumir em breve.

Agora, é foda ouvir "Ah, galerinha, relaxa, o verão tá chegando, vamos aproveitar!" quando você sabe que seu verão vai ser trancafiado em um escritório gelado.
Ontem eu fiz "macaralho".
Crianças, não tentem isso em casa.

segunda-feira

Chuva forte
Dores
Saco cheio
Fome
Cabeça povoada
Olhos atordoados
Questões
Papo-mulherzinha
Socos no ar
Pensando na compra que não fiz
Na ausência dos trabalhadores
E dos meus retratos
Ligação
Fui!
Era o que me faltava:
cisto no punho esquerdo
tendinite no ombro direito
dor no ovário esquerdo

Digamos que eu esteja bem bilateral, hum?
hahahaha!
Vi agora na minha rádio que a música que eu estou ouvindo se chama "Bigmountain Strikes Again", do Smiths! quase uma ameaça: "Se você não se comportar, o Big Mountain vem aí e te trucida com "Oooh baby I love your way!".
Lemoooon...
Têm a minha imensa gratidão aqueles que me ajudam a segurar a barra, que vem a mim logo cedo com sorrisos e boas notícias, que me fazem rir com piadinhas idiotas e bem colocadas, que facilitam as coisas, que me fazem relaxar, que usam a sabedoria como principal arma, que prezam pela minha sanidade.
Aos outros, meu desprezo.
Minha surpresa foi pro saco, mas em contrapartida ganhei um suporte na hora da, aaaai, dor.
Em busca de praticidade, desenvolvi uma visão simplista das coisas. Não devia.

sexta-feira

"Eu sou a gaveta de verduras da empresa"
Túlio Inoue

Sexta-feira à tarde é depressão.
Adoro lojas de artigos para pintura e desenho. Fico babando com cores, tintas, pincéis, e todos os cacarecos e novidades. Quero comprar tudo. Devia voltar a ter o hábito de desenhar, pintar, criar quando estou em casa. Me faz falta.
O melhor Mondegreen que eu já vi

I misheard them as:
Just call me an island slease
All my body yours for free
This is who I long to be
Louise the Bone Eater


The real lyrics were:
Tropical the island breeze
All of Nature wild and free
This is where I long to be
La Isla Bonita


Olha a sexta-feira ficando longa...
A razão do meu stress!
In da Bar

Ontem fui ao grande e maravilhoso ensaio dos Hot Doggers para ouvir os novos "hits", e depois segui para uma noite de chopp e asneiras no Opção (quem não tem opção...) em companhia de In da Housers e a mais nova namorada, sim, é sim, namorada do Vicente.
Aqui as frases proferidas por João Gravata, que já fazem parte do meu diário de bordo:

- Se você tivesse um pau nas costas, você se comeria o dia inteiro?
- Eu não, ia usar calça Saint Tropez para não pegar nas bolas.


"Ah, meu pai arrancou esse meu piercing com um alicate"

- Mas não existe comida azul!
- E a espuma da Fanta Uva?


E depois de muito tempo, volto a acordar atormentada pela ressaca.
Hoje cedo eu estava no ponto de ônibus, na maior das ressacas, querendo paz, quando uma senhora me abordou. Ela parecia daquelas mulheres negras que a gente vê em livro de história. Ia pro hospital Dante Pazzanese e queria saber qual ônibus pegava. Mais que isso, ela queria que eu lesse o nome do ônibus, porque ela não sabia ler, e pelo jeito não enxergava bem.
- Menina, olha o exame que eu vou fazer. - ela tinha doença de Chagas. Indiquei o ônibus, e quando o meu se aproximava, vi que ela entrou em pânico de ficar sozinha. Lembrei então que esse também passava onde ela queria, e ela subiu junto comigo. Uma senhora no banco da frente perguntou onde ela ia descer. Ela então colou em mim e disse:
- A menina vai me dizer, né, menina? A menina sabe onde fica.
Nessa hora senti algo estranho. A mulher, tadinha, desamparada, confiando piamente no meu senso de direção. E se eu errasse o caminho? E se eu não estivesse a fim? E ela olhava firme, "né menina?". No fim a senhora do banco disse que a levaria até o hospital. Melhor assim. Não estava pronta para ser corrimão alheio. Só espero que a mulher passe bem agora.

quinta-feira

Purple Nipple
, tava com saudades. Preciso de doses periódicas de Mango Chutney.
Trabalhando

séria
boba
E.T.
- Caramba, esse gongo parece missa no interior! Conheço todo mundo!
Confesso estar melhor hoje. Passou, não vou mais mexer em vespeiro, me calarei até passar de vez.
Ontem tirei um mastodonte das costas assim que apresentei a droga do meu planejamento. A partir daí, fiz o que queria.
Estou me aproximando da paz novamente. Só me falta mais confiança.


Qual Ludov Você É?

Eu sou Van-Filhinha, um híbrido de Natalie Merchant com Monique Evans!

quarta-feira

- Ah, vai, faz do meu dia um campo de flores?
E o menino amarra o fio do fone na língua e me sorri. Ok, flores demais.
Não me censurarei enquanto o bom-senso estiver comigo. Descobri outras válvulas de escape ótimas. Falei, falei tudo, não ia agüentar ficar quieta por muito tempo. Mas está lá, guardado no túmulo. Agora volto a me calar.
Um certo alívio.
O que dói mais é chorar em silêncio. Me falta UM ombro confiável, e nem com o meu eu posso contar.

ts'aaahhh, deixa eu parar de drama... é a insuportável tensão PÓS menstrual de volta.
You get what you give

Quem faz quizzes do Creed ganha como recompensa... um cd do Creed, óbvio.
Hoje tá bom prá socar na cabeça de alguém.
I hereby promise...

Hoje é o dia que podia cair um asteróide na terra. Matava todo mundo, não tinha mais nada, acabava. Podia cair na minha cabeça de preferência. Eu não quero mais ver nada, sentir nada, ouvir nada até estar em plena paz comigo mesma. Chega. Chorei ao som de A Long December. Trabalhei, estressei, não tive pique, ri forçada, fiz o que não queria, deixei de lado minhas vontades. Tudo o que mais me indigna nessa fase bosta eu fiz. E agora a tristeza é infinita, a vontade de jogar a mesa pro alto, quebrar disquetes ao meio e mandar o mundo tomar no cu é iminente. Chega. Eu quero um aspirador de mente. Não é um ou outro agravante, é a conjuntura, é a situação. É chegar em casa à noite com o joelho explodindo e só querer dormir, quando eu podia estar fazendo muito mais, produzindo muito mais, curtindo o que eu realmente gosto. No caminho de Dorothy nem tudo é dourado, já bem disse o Jorge.

Tu te tornas eternamente responsável pelo que cativas... e no meu caso é só bosta.

Retiro o que digo, e volto a pensar nas frases que dizia no passado. O dia tá bom prá ouvir Radiohead, mesmo que eu não goste.

Pffff... vai acabar, vou voltar ao normal, vou parar de reclamar à toa, vou deixar de lado a impressão que todo mundo passa a mão na minha bunda, mas não deixar de me conscientizar que eu sou uma grande cu largo. Assim espero.

terça-feira

hum, fim do dia, eu quase louca, lá vou eu pro PGE.
Ah, meu namorado é lindo.
tchuess
E de repente eu me pego tentando arrancar um dente aqui...
"Eu não achava a Bia estranha.
Eu achava que a Bia era a reencarnação da Zelda Scott."


Consigo me ver transformada em uma índia verde, tentando acertar Juba e Lula.
- Aha, uhu, a assassina é nossa! - gritava a torcida da PUC nas Economíadas.
Sobre a obtusidade que assola os estudantes ESPêmicos:

- Olha, você se inspirou em Mucha! (na campanha do PGE)
- Esse com influência do Alphonse Mucha que você falou, por exemplo, duvido que seja bem aceito. Estou preocupado.
- Vc acha? É, se for levar em conta o embasamento dos professores da ESPM, eles vão falar "Que coisa véia é essa? Parece um quadro que tem na minha vó!"


Tô certa ou não tô?
É a triste realidade, e eu tô vendo isso chegar no meu trabalho.
Agora não posso, tô fazendo PGE.

segunda-feira

Funciona assim: você me mostra por a+b porque eu mereço o elogio. Espera um tempo até eu digerir a idéia e começar a me achar. Pronto, me fez feliz. Ou talvez mais confiante.
Porque a minha idéia sempre foi a de Beatriz esquisita, a amiga legal, mas xéééé, essa aí é estranha. Nah, eu lido muito bem com isso, me é até mais confortável. [Culpa do pensamento interiorano, que não se extinguiu quando eu fui prá cidade. Adolescentes são cruéis.]
... mas se quiser continuar, fará de mim uma pessoa melhor.
É por essas e outras que eu adoro trabalhar aqui: porque no meio da tarde a gente recebe enquetes falando sobre o penteado alheio. (note bem que os elaboradores em questão são homens, mas bem marocas)

Resultado da enquete: "Defina em 2 palavras o novo penteado do bixinha".
Reparem como alguns designers têm dificuldade em diferenciar 2 de 3. Reparem também como o Vader apavorou o Davis.

DAVIS
falta de apanha!!

ALÊ
roni von amarelo

VADER
Modelo DAVIS!!!!!

BIA
homo
sexual

VIKTOR
1) argonauta
2) heliodal

GUICOUBE
abuso paterno
sing-a-long
presente para o 'ouvinte' Fábio Cavinato, direto de Limeira

Possessions never meant anything to me
I'm not crazy (Cause I got none)
Well that's not true, I've got a bed and a guitar
And a dog named dog who pisses on my floor
That's right, I've got a floor
So what, so what, so what?
I've got pockets full of kleenex and lint and holes
Where everything important to me just seems to fall right down my leg
and on the floor
My closest friend linoleum
Linoleum
Supports my head, gives me something to believe
That's me on the beachside combing the sand
Metal meter in my hand
Sporting a pocket full of change
That's me on the street with a violin under my chin
Playing with a grin, singing gibberish
That's me on the back of the bus
That's me in the cell
That's me inside your head
That's me inside your head
Tenho o cheiro no meu nariz e o toque na ponta dos dedos.
Difícil é concentrar.
EGOTRIP MODE ON
Aconteceu do jeito que eu queria. Chegar em São Roque despida dos preconceitos que permearam minha adolescência foi mais que necessário. Porque aí sim eu relaxei, e me senti em casa novamente. Como visita, mas em casa, revendo a minha antiga rotina em cada canto da casa.
Os acessórios ajudaram: céu azul, passarinhos exclusivos de lá (dos que fazem fififi-fifi), piscina limpa - não que eu tenha usado -, banheira de hidro, comidas baratas, cheiro de grama, eu e o Miguel.
Já tenho meu refúgio temporário, próximo e barato, para os fins de semana de saco cheio.

quinta-feira

Ironicamente eu não vou arrastada, e sim com a maior das boas vontades, para a infeliz terrinha em que passei meus áureos anos. São Roça, there we go. Munidos de moletons, sais de banho, e muito, muito saco. Vai ser bom, sim, só me assusta a falta de televisão.
Foto Biz
Beatriz é uma estranha no trabalho

acá
y acá
Aribabiba

Meu chefe acaba de dizer que meu sobrenome parece ter saído do dicionário do Hopi Hari.

Tomahnuku
Eu queria mandar um beijo especial para o "DJ" da minha rádio, que toca Unfinished Sympathy ao menos uma vez por dia e me deixa com frio na barriga.
Sei lá porquê.

You're the book that I have opened
And now I've got to know much more...
Tia Gegé falou. Agora eu dou as dicas para me verem sempre no melhor dos humores.

Como evitar um surto de Elsa Jane

- Não me deixe esperando. Eu faço de tudo para chegar no horário, e espero o mesmo. Você corre o risco de não me encontrar caso demore muito.

- Não faça piadinhas infundadas com a minha cara. E não use termos como "ai, como você é besta/mongol/imbecil/idiota" sem que eu tenha merecido muito tal adjetivo. Eu vou retrucar e o clima não vai ficar bom.

- Não tente aparecer e/ou pagar de gostoso com a minha cara na frente dos outros. Eu odeio gente "azia".

- Não se faça de íntimo meu se eu não te dei liberdade. Keep your hands to yourself. Não tenho amigos sapos e detesto abraços melosos de estranhos.

- Nunca, em hipótese alguma, me deixe esperando você ir falar com um(a) "paquerinha" sem que eu tenha o que fazer durante esse tempo. Eu sumo, e se não rolar nada, você ficará sozinha(o).

- Não desmarque um programa que eu tenha planejado por eras em cima da hora, sem ter uma desculpa plausível.

- Se você não é meu superior, não venha mandar em mim.

- Não me cobre atenção e não dê chilique. Isso é minha função.

Se você tem uma relação saudável comigo, relaxe, você não está quebrando as regras. Mas é bom não pagar prá ver.
Não sou a megera que aparento ser, sou até bem cu-largo, mas tudo tem limite.
Aserejé, ja deje tejebe tude jebere
sebiunouba majabi an de bugui an de buididipí


Hoje é dia de apresentar PGE! Meu problema é decorar o refrão.

quarta-feira

Under the boardwaaaalk
Down by the seeeeaaaa
On a blanket with my boyfrieeeend is where I'll be
- Oi, er... você podia fechar o arquivo, por favor? Não consigo gravar nada em "somente leitura".

Trocando em miúdos: me deixa trabalhar, porra!
"Geniouses pick green
But Ich mag Apfelsine
"

obrigada!
If you're feeling sad and lonely...

Que Chris Montez, nada! Ana Laura é a massagem no clit do ego!

boca do zé pequeno (02:02 PM) :
eu sou sua groupie, GATA.
Meu professor de sobrenome FIASCO não dará aula hoje.
Já deu prá imaginar como a aula dele é importante.
Play that funky music

Brand New Heavies é bom
E Superstition, do Stevie Wonder (no wonder! - ai, que infame) me lembra a Renetinhe

Very Superstitious, writings on the wall
Very superstitious, ladders bout' to fall
téun téun téun déun...
O segredo é não querer complicar mais o que já não vai direito por puro egoísmo.
Não tô bem hoje. O último - minto, eu ainda tenho minhas fontes confiáveis - conforto garantido partiu hoje cedo e a mim resta o inferno desse dia cinza e úmido. Queria colo e compreensão. Na minha cabeça só roda uma coisa: quando eu peço por algo, isso me parece vital. Mas quando eu consigo o que pedi, não dou conta e quero me livrar. É sempre assim, peco por excesso.
Tive um sono absurdo hoje cedo, e por mim eu teria ficado na cama até enjoar.
Mas tô aqui, saco na lua, olhos molhados, querendo uma palavrinha doce.

terça-feira

Post ultra-maxi-interno
ENTÃO SAI!


Remexer é coisa prá Gretchen, não prá mim. Não sei porque insisto. Ao mesmo tempo que é bom, me dói a boca do estômago. Nada acontece, mas prá mim, por mais passado que tenha sido, parece acontecer aos montes. Porque eu agarro com unhas e dentes e não dou vez a ninguém, e se eu sentir que alguém está mexendo no meu queijo, não sei o que faria. Só sinto que a polícia teria que intervir. Odeio quando as coisas são intensas além do meu controle.

Outra coisa... talvez isso seja antigo prá caramba, mas não deixe de ser adequado, porque eu só concluí isso agora. Eu não era parte do público-alvo. Ainda acho que possa estar errada, mas com o desenrolar dos fatos, vi que era isso. Talvez tenha passado a vida inteira não sendo o público-alvo, mas eu achava a insistência válida. Planejamento do meu endomarketing nunca foi tão válido.
Antes era cansaço - muito - e um bocado de pânico. Lembrei muito de quando me perdia da minha mãe no supermercado. Mas o calor na mão foi me fazendo esquecer aos poucos e relaxar. A vontade latente era de deitar, esticar as pernas, soltar os músculos e me preparar para dormir. Mas havia uma outra vontade, que começou a puxar pelo pescoço, foi baixando, despindo, tocando, respirando, correndo por mim, até que me vi mais cansada, mas não acabada. Não havia mais ar, mas havia vontade, e isso era suficiente. Meus gritos foram abafados pelo vapor, assim espero eu. E dormi tranqüila, envolvida pelo barulho terrível da chuva, os braços longos e os sonhos esquisitos.

Não adianta. Por maior que seja o calor na bacurinha, eu não consigo fazer uma descrição sem que ela não se pareça com um conto da Syang. Que merda. OK, foi isso, eu tentei ser a Anaïs Nin.
Cotidiano

brrrbrrrr... BUM!
- Caraio, mano!
- Jesusamado! - a velha se benzeu
- Ô motorista! Tá loco, véio?! TÁ LOCO?!
O motoboy atropelado na Faria Lima fica puto e sobe no ônibus. Logo é interrompido pelo motorista mal-educado (bom, educação era algo que faltava naquele momento)
- Ô meu filho, louco é você que fica aí na minha frente! - é, além de mal-educado, ele também era fodão
- Você me fechou! Eu tenho filho, você ia acabar com a minha vida MANO!
- Não esquenta a cabeça que senão eu esquento a minha e a coisa vai acabar mal... Tô te avisando...
A essa hora eu já me imaginava estatística, presenciando uma briga ou mesmo um tiroteio, vai saber. A Faria Lima, que já estava lenta por causa da chuva, agora estava parada. Eu só queria chegar logo no trabalho. A discussão rolava, entre manos e véios e caraios. Até que um pingo de racionalidade caiu ali, no meio dos dois.
- Firmeza, mano. Qual é teu nome?
- Tião
- Firmeza, Tião, eu vou deixar um telefone aqui e você me liga prá acertar meu pára-lamas.
- Certo.
- Maravilha, vai com Deus. Se cuida Tião!
E o motoboy desceu distribuindo bênçãos a todos, pegou sua moto e foi embora. Acabado o show, o motorista seguiu procurando mais uma vítima.

segunda-feira

Sabe o sentimento que você tem quando escreve um texto enorme sobre a última crítica que fizeram à sua pessoa, e apaga por achá-lo desencessário? Ele tem um nome: apatia.

Meu mais novo medo é não conseguir passar para o papel as coisas que passam pela minha cabeça.

É, eu sei, eu tô em dúvida. Eu vivo em dúvida, eu vou de uma opinião a outra em questão de horas e não saio da dúvida. Agora o lance é decidir o daqui prá frente, o prá onde vou, o o que fazer. Porque pode até ser cedo, mas se eu fechar os olhos, acordo em junho do ano que vem, com um canudo na mão, keine beruf e mais dúvidas, além de um caminhão vindo buscar minhas coisas. Mas eu não quero pensar em mais nada. Saco...
I'll be a Karaoke queen, it's not me you see
I'm gonna take you down to a place
I know you'd rather be
It's just a three minute song
It doesn't last very long
But it'll take you to a place I know you'd rather be
And you can dance if you want to
Show appreciation
But step up to the mic for the full sensation
And you can dance
Oooh sha la la la la la la
Produtividade devia ser meu nome do meio. É sim, oras, nome não quer dizer nada. Senão, eu seria uma mercadora de Veneza, como Bonduki quer dizer.
Pfff, tudo isso para dizer que eu não rendi o tanto que queria hoje.
Aí eu entrei no táxi e falei "vamos para a ponte do Tatuapé, passando a Febem", e o motorista obedeceu. Fui olhando o caminho, pensando no que ia fazer ao chegar, em como é complicado esse esquema de nota etc, quando senti um cheiro de carniça muito forte. "Ô bosta de Rio Tietê fedido" - pensei. Mas, fora do carro, não tinha cheiro nenhum no ar. Medo. Tinha um corpo no porta-malas, tinha sim.
Consertar o banheiro na hora do almoço é realmente necessário?
K H 100 H Xá éA

Essa é prá ti, menina!
Melhoras!
Fico impressionada com a minha cada vez maior capacidade de pouco-me-importar. É o famoso não-me-abalo atingindo uma pessoa supostamente abalável. Ah, progressos! Será que eu vou deixar de uma vez por todas de ser assim?
E aí na sexta eu bebi com Juju e acordei com uma bóia de privada como fígado.
Mamãe é uma coisa assim, hum, minha mãe. Ela chega, reclama da bagunça, se instala e começa a revolução. Bagunça o arrumado e arruma o bagunçado. Faz compras e deixa minha casa decente como devia ser. Ontem foi dia de conhecer a feirinha da Liberdade, comer bifun e gioza, fuçar todas as lojas de tranqueiras, comprar plantinhas e voltar com dois palmos de língua para fora, para se refrescar com cerveja e pés para cima em casa. Aí a gente come, espera um tempo, olha uma para a outra e corre encomendar comida na padaria "só porque eu estou com vontade de comer mortadela". Sentamos na frente da tv e falamos mal de tudo, mas não desligamos o canal. Rimos, e rimos e rimos, e às vezes ela me faz chorar. Gostou do meu menino.
Precisava da mamãe em casa, por uns dias, me tirando do resto do mundo prá dormir de mão dada comigo e me acordar com o café pronto.

sexta-feira

Eu sabia que o chilique vinha a galope, só não queria que a merda voasse em quem estava na frente do ventilador tentando segurar as pontas que eu deixei de lado. Eu tenho uma lista de pessoas em quem eu podia jogar toneladas de merda, começando por você, ser engomado e insuportável que acredita que o pau do chefe é o corrimão do sucesso. Mas passou, e eu devo agradecer de ter consciência de que isso é uma fase - um híbrido de stress com tpm, injustiças profissionais e pouco uso da massa cefálica - além de ter um aliado, que compreende que eu não sou louca e não faço isso por mal.
Agora é colocar as coisas em ordem, engolir essa cara de merda e ficar aliviada que passou. Peço desculpas aos espectadores pelo pequeno show de horrores. Da próxima vez eu me visto de Columbia, ok?

E só para constar: hoje, depois de matar a vontade de apertar meu gatinho, vou faxinar com Juju, e muita cerveja, porque eu sou uma alcóolatra em falta.
Estou em período de muda.
Já tava na hora da cobra trocar de pele. Argh!
Sol com frio, vista limpa, bombons de manhã, carinho de leve, mamãe chegando, vontade de ficar quietinha...
Viva a sexta feira!
So do I...

quinta-feira

Era uma vez uma topeirinha que queria ter conteúdo. Estava cansada do trabalho especial para limítrofes que devia cumprir. Então a topeirinha chamou seu superior, ajeitou o decote e disse "eu quero ser que nem aquelas ali". Quase que seu desejo foi concedido se não tivesse que passar pelo crivo das corujinhas, estas sim dotadas de conteúdo. A implicância tinha fundamento: há algumas semana atrás ela tinha perguntado quais eram os candidatos à presidência.
A topeirinha não merece o nosso cargo, no way Jose!
Um amigo disse que ouviu Lady in Red e lembrou de mim. Eu NÃO quero saber porquê!

Lady in reeeeeed.... she's dancing with meee, cheek to cheek...
Apesar de meu radiante humor, ainda não estou bem o suficiente para fazer 35 quizzes jocosos sobre o CREED. Não mesmo.
My sacrifice...
A vida é um palco, capítulo 50 e 10

(eu falando com amiga sapa sobre amigo biba)
- Então você nasceu exatamente um dia depois dele.
- Exatamente. Devia ter algum planeta gay regente naquela semana!

Eita essas pessoas do sul...
Não adianta, nada vai tirar meu bom-humor de hoje. Porque eu estou tão bem que até pus maquiagem para vir trabalhar.
Foi o banho-descarrego, com certeza. Foi a essência de canela, com todos os produtos de beleza que há muito eu desconhecia e o pula-pula ultra alto no banheiro. Foi gritar "I've heard you think you're bulletproof parã pãpã parããã" e me besuntar de hidratante cantando "It's no good". Foi reler um monte de coisa ruim e rir, RIR da cara dos imbecis que eu dava valor. (Cara, como eu queria que vocês soubessem como eu ri.) Foi dormir e ter sonhos estranhos e acordar falando. Foi a ligação matinal do meu menino saudoso, e o descaso com as outras preocupações.
Estou voltando a pensar em mim, faz bem.

quarta-feira

weird dreams

Sonhei que minha mãe desabafava comigo e com a Clau, contando que tinha tido uma filha no primeiro casamento, e esta era a Ellen Rocche. Disse que a filha era uma ingrata, que nunca mais tinha falado com ela. Aí eu perguntei porque ela tinha posto um nome tão cafona na menina, e ela falou que na verdade era Eileen, mas com a carreira, a modelo trocou de nome. Enquanto isso, o despertador tocava e, em um sonho paralelo (sim, eu consigo fazer isso), meu namorado dormia em parcelas, para descansar melhor (?).
Rio!




Mas mãe, ele deixou eu mexer na webcam!



Weeeeird. Ok, estou eu aqui ouvindo um site de rádios que a Gegé me passou, especificamente a 93.3 FLZ, minha favorita do intercâmbio. É hora do programa do MJ, que discute umas coisas polêmicas, meio que tirando um sarro. Uma ouvinte entra na linha e fala exatamente como a minha irmã-americana. Quando o cara pergunta, ela diz "meu nome é Ashley Pomnitz". Ca-ra-lho! Sim, é ela, minha irmãzinha!
O mundo é mesmo uma tampinha de garrafa...
Giovanni, apaga!

Eu só queria uma voz decente, e não esse Don Vito Corleone dentro de mim...

terça-feira

Acabei de descobrir por acaso um cara engraçado:
Liam Lynch
Ouça o cara aqui
A vida é um palco - capítulo 1875

- Onde vc está, na senzala?
- Não, na casa do meu namorado.
- Ah, então está no Quilombo dos Prazeres!

Obrigada, Ga-bee. Dormi melhor depois dessa!
Cenas que gostaríamos de ver:
Supla é atacado por punks em festival em SP
O Rio de Janeiro continua ardendooo....

Hoje é um dia perfeito para dançar Holler, vocês não acham?
Retiro o que disse. A chata sou eu. Não é um mea-culpa, é uma constatação.
Cinzeiro conceitual



segunda-feira

I-don't-fit-in

Não é que agora eu seja persona-non-grata, afinal eu fiz uma opção: preferi a companhia do meu namorado nos fins-de-semana. Nada mais óbvio, afinal a gente não só "namora", eu gosto da companhia dele. Enfim, não vem ao caso. A impressão que me dá é que eu entrei numa fenda do tempo e, quando saí, nada mais me interessava no alheio. Era tudo muito fútil, desinteressante, totalmente fora de sintonia com o que eu queria. E eu juro que me culpei um pouco, me senti excluída, outsider, até chegar à conclusão de que esta é mais uma das portas que se fecham no decorrer da vida. Não fui eu, não foi ninguém, foi o curso. Fico triste, sim, de ver que tudo o que era bom ficou um pouco para trás. Talvez eu me engane e volte a ter os dias memoráveis que eu tinha, mas acredito que talvez eu não tenha mais paciência para isso.
Foi bom, mas acabou.
Odisséia, ou The End of You

Build for me your tightest ship
make the oars run swift and fast.
Send me out your strongest crew
make their hearts and minds steadfast.
Bless me with Athene
there's no meaner, she's the best.
For when we hit the roughest seas
we'll need all we can get.

You say "sink or swim", what a cruel cruel phrase
I'd rather fly, don't want to get caught in this endless race.

The first beast that will appear
will entice us with money and fame.
If you listen long enough
you'll forget there's anything else.
Tie me to the mast
of this ship and of this band.
Tie me to the greater things
the people that I love.

You can walk the plank, do the dead man's float
Never let them see, your heart is pounding full of hope.

Let the last storm hit us
let it strike at the hardest part.
Turn us all to mutiny
turn this boat upside down.
I am not the captain
I am just another fan.
Sailing off the edge of truth
into the end of you.

Eye of the storm, what a cruel myth
There's no bigger spotlight than shown
on the ones brave enough to live.

Acéfala Pink Mocotó

O Rio é lindo. Isso todo mundo sabe, mas eu vim a saber agora, ao passar pelas ruas cheias de árvores, pelos predinhos "cariocas", pelas nuvens em cima do morro e o sol nas praias. Fiquei embasbacada com a paisagem, o clima e a tranqüilidade, sem contar que tive a sorte de ter dois ótimos cicerones.
Mas é óbvio que, em se tratando desta caipira acéfala que vos fala, ela não ia deixar de fazer merda. Sim, fui à Barra, na praia e sob um sol escaldante preferi acreditar que já estava suficientemente acostumada e esqueci do protetor. Needless to say, estou um camarão, ardida, com calafrios, insolação, desidratada, sofredora e infeliz. Para coroar, ontem fui comprar caladril e acabei desmaiando na farmácia. Ainda bem que tenho um homem grande que me segura.
Agora estou aqui, alvo de sarro dos corporativistas, com tudo ardido, trabalhando ainda tonta.
Mas ainda assim estou feliz, conheci o Rio!

sexta-feira

Aíh pêixe! Tô indo pro Rio passar o fim-de-semana com meu menino e sua mamã.
Já não era sem tempo de conhecer a tal cidade, não?
Então, tchüs! Tschuess - corrigido a tempo por Richard, the Industrial
Sucesso no pancadão

People love my lady!

Tem coisas que só meu namorado faz quando desocupado. Hihihi!
Talvez mais do que quem recebe, eu sinto um prazer imenso em fazer surpresas. Gosto de identificar a pessoa em algum gesto ou presente ou comida ou o que seja.
Fui às compras agora, e devo dizer que estou satisfeita.
Vou ali tentar fazer uma esquisitice. Espero que dê certo, e que eu não seja motivo de piada de um salão inteiro.

-x-

Sabe o que me deixa PUTA? Palpite de gente sem embasamento, briefings mancos, hierarquia injusta. Ok, não é hora de contestar, mas já que sabem tanto, por que não fazem de uma vez?
Yesterday was the day I hit the pot.
Coisas das quais eu precisava:

- uma rápida visita para favorecer um amigo. E no fim ser favorecida também.
- uma ligação em bom curitibanês dizendo: "Cancela teu pedido, guria, que você vai comer pizza e tomar cerveja aqui em casa", feita por Gildemeister, die Biermeister.
- matar meus preconceitos em relação à algumas pessoas.
- uma orientação de pge tranqüila.

Coisas das quais eu não precisava:

- uma manifestação dos metalúrgicos no meu caminho.