quinta-feira

Músicas para se "osamar"

Driftwood*
Travis

Everything is open
Nothing is set in stone
Rivers turn to Ocean
Oceans tide you home
Home is where the heart is
But your heart had to roam
Drifting over bridges
Never to return
Watching bridges burn
You're driftwood floating underwater
Breaking into pieces, pieces, pieces
Just driftwood hollow and of no use
Waterfalls will find you, bind you, grind you
Nobody is an Island
Everyone has to go
Pillars turn to butter
Butterflying low
Low is where your heart is
But your heart has to grow
Drifting under bridges
Never with the flow
And you really didn't think it would happen
But it really is the end of the line
So I'm sorry that you turned to driftwood
But you've been drifting for a long, long time
Everywhere there's trouble
No where's safe to go
Pushes turn to shovel's
Shoveling the snow
Frozen you have chosen
The path you wish to go
Drifting now forever
And forever more
Until you reach your shore
You're driftwood floating underwater
Breaking into pieces, pieces, pieces
Just driftwood hollow and of no use
Waterfalls will find you, bind you, grind you
And you really didn't think it would happen
But it really is the end of the line
So I'm sorry that you turned to driftwood
But you've been drifting for a long, long time

*feita especialmente para mim, neste momento que jogo aviões contra minha cabeça.

quarta-feira

A ordem é: VÃO!



Quer deitar o cabelo, então deita com classe.
Nesta quinta, Tatuí invade as pistas do Matrix para mais uma edição da
Deep Sleep. Hits dos anos 80 e 90 farão você dar tapinhas na testa e
pulinhos de excitação, além de dançar até Morpheus falar mais alto (o que
eu pessoalmente acho super resistível).
Apareçam. O preço é camarada, a discotecagem é ótima e os produtores são
coisa nossa.
Eu vou.
E com vocês... a minha afilhadinha de coração!


Biazinha Zagaia, filha da Carol e do Leo, meus amigos virtuais - por enquanto.

Lindinha de morrer, tem o meu nome, a cara do pai e a doçura da mãe. Não vejo a hora de apertar essa gordinha e ensinar um monte de "marotices" prá ela. :o)
Caminhar mais devagar, sempre. Os passos mais curtos combinam melhor com minhas perninhas.

domingo

Su-su-su-sucesso!
Se você foi no Skol Beats, mermão, perrrdeu!
Aqui, o roteiro cumprido pelos adoradores de Kleber de Flocos nesta noite que pareceu não ter fim:

18h40
Compra de champagne de R$15, fandangos mega mix e latinhas de Smirnoff Ice.

19h30
Degustação das Smirnoffs.

20h30
Partida para o Shopping Jente Çimpres para a "janta" e a apresentação do Pior Filme Já Visto Em Minha Vida, "Dawn of the dead".

23h15
Volta do cinema.
A champagne é aberta, inaugurando um novo ano Klébico. Para pedir saúde para o nosso Deus, comemos os Fandangos.



0h30
Ritual de Perda da Dignidade

Daí prá frente, o efeito de Kleber em nossas mentes fez com que esquecêssemos o mundo material e nos concentrássemos apenas na evolução do espírito e no sorvete de flocos.
Alegria, irmãos, começa uma nova era! Mais, só ano que vem, desta vez, com um convite a mais à venda, para evitar o acotovelamento de cambistas na porta do templo.

sexta-feira



Se ele, com essa cara, me pedir prá ir até Aparecida de joelhos, EU VOU!

quinta-feira

Eu, aqui.
Para quem gosta de causos, quinta feira é o dia!

--x--

E os ingressos estão esgotados! Quem conseguiu, conseguiu, quem não, que fique chupando o dedo. KléberFest vem aí para acabar com os conceitos de festa boa. Prepare-se para conhecer a outra dimensão da Vila Sônia.
Cheetos bolinha, Marcus James branco, sorvete de flocos e câmeras digitais à vontade para os convidados registrarem suas performances e algazarras. Nas picapes, muito teen-rock e Jelly Hits, claro!
Esqueça Skol Beats, esqueça qualquer baladinha da moda, a rua Francisco Petinatti vai pegar fogo e a Dona Neide vai ficar maluquinha!
Aí, né, no outro dia, vai ser tuuuuudo mentiiiiira!
Dormir com a mão suja de canetinha é de longe um dos melhores prazerzinhos da vida. Ontem peguei minha caixa da alegria, pintei e bordei, li cartas antigas, senti saudades e fiquei toda suja de purpurina dourada. Tem horas que ser uma criança hiperativa que comeu açúcar antes de dormir cura todos os males.

quarta-feira

O que eu sinto agora é comparável a um tombo de joelhos. Na hora, você nem sente direito, fica tudo amortecido. Aí você vê o rombo, chora, passa água oxigenada e assopra prá não arder mais. Mas o pior é a casquinha, que repuxa a pele e você xinga a 15a geração da sua família por ser tão destrambelhada toda vez que encosta o joelho em algum lugar.

Cair a casca está sendo o pior de tudo. Me dói pensar em melhora, em mudança. Resumindo, é, é uma grande bosta, mas eu tenho que passar.

Ainda bem que hoje está chovendo. Ainda bem que não fui trabalhar. Ainda bem que o Rubem Fonseca escreve bem e eu tenho pesadelos com o livro. Porque aí eu acordo e tudo acabou.

segunda-feira

Ataque de Perereca-master

Eu vou ver o Pixies! Eu vou ver o Pixies! Eu vou! Eu vou, você não vai! Lalalá! Eu vou jogar minha calcinha no Black Francis! Eu vou desmaiar e entrar em roda de mosh! Iiiiiiiigh! Morri!

sexta-feira

Tendenciosammm...


1. Pegue o livro mais próximo de você
2. Abra o livro na página 23
3. Ache a quinta frase
4. Poste o texto em seu blog junto com estas instruções

“Como costumam dizer: “A home page de um site não é uma árvore de Natal”, ou seja, não adianta querer pendurar quilos de conteúdo logo na primeira página.” in Webwriting: Pensando o texto para a mídia digital

Peraí. Era o livro mais próximo. Quero deixar bem claro que foi um presente de um colega de trabalho, e não meu manual de sobrevivência! :oP

quinta-feira

constrangimento_coletivo.exe

Com um mês e tanto de trabalho, ainda não deu prá conhecer todas as pessoas da empresa, quanto mais suas opções, manias e tudo mais.
Bom, aí hoje tava eu lá na labuta diária quando pisca uma janelinha do msn me chamando. Era a L., uma mestiça meiga e muito quietinha que trabalha atrás de mim. Abri a janela e o que vi foi duas linhas de "SOU GAY!!! SOU GAY!!!". Fechei. Não devia ser prá mim, né? E, se fosse, o que que eu tinha a ver com isso?
Passou um tempo, nada de resposta, resolvi perguntar se a mensagem era pra mim, se tinha ido por engano ou era algum tipo de batismo da empresa. Aquilo lá era um programinha executável, viral, que mandava tão graciosa mensagem para a sua lista do msn. Ela me mandou o arquivo, só para eu, er, dar uma xeretada.
E então eu consegui o feito: TODOS os meus contatos online do msn receberam a minha declaração. Choveram respostas do tipo "Ahn?", "Eba!" ou "emoticon-de-espanto". O pior foi desmentir. Uma hora encheu o saco e eu comecei a dizer "É, saí do armário, pronto!". E tratei logo de apagar o tal programinha-da-puta do meu computador. Vai que eu clico nele por acaso?

Agora, na boa, não tinha um jeito melhor de sacanear? Sei lá... Podia ser uma mensagem do tipo-Coradazzi - numa das poucas vezes que ele aprontou com a minha cara -, em que ele se passava por mim dizendo para minha co-worker "Ju, tô meio estranha... ando sentindo uns calores entre as pernas quando você passa... Acho que é amor".
Aaah, ia ser muito mais divertido!
Segunda veio a crise feia e na terça eu corri pedir colo pra Tia Cecília. O resultado foi a dose duplicada do remédio, na esperança de me fazer chorar menos. O problema é que esse remédio me deixa boba, sabe? Eu fico infantil, fofinha, um usagui-chan, careeente que é o inferno.
Aí ontem eu marquei dois compromissos sociais, porque minha nova febre é rever os amigos e deixar de ser uma relapsa. Almoço com Marina, cafezinho com InFerrrno. Substituíram, grandiosamente, cada dose do remédio. Marina, sempre doce e interessante, Fernanda, um poço de risadas e histórias tragicômicas.
A melhor saída sempre foi me virar para as boas amizades, porque isso, ao menos, não me traz algum efeito colateral negativo. Claro, em doses saudáveis. O pagamento vem em forma da minha lealdade.

terça-feira

A vida é um palco - edição Nomes

- Ah, podia ser Alethea. Acho Alethea tão bonito.
- Sim, nomes do LoTR. Coloca Galadriel também!

--x--

- Ana Claudia eu acho lindo. Meu nome tem que ser distribuído.
- É, sim. Que dizer "graça manca"! Lindo mesmo.
- Claro! Ué, é um nome sem preconceitos, que abre portas para a deficiência! Pior seria Alethea. Imagina? "Que linda a sua sobrinha! Como ela se chama?" "Er... Galadriel? Froda? Gollum? Ai, é, Alethea!"

segunda-feira

Sabe quando não tem jeito? Quando nada, repito, absolutamente nada dá jeito? Imagina assim: você tá chata que é o diabo, aí vem o Mark Van der Loo com uma torta de maçã folhada e sorvete de creme na mão, trajando apenas um avental, e na outra mão está um cheque do BBB. Não suficiente, ele te diz elogios ao pé do ouvido a cada cinco minutos, te faz carinho, te trata como uma princesa.
Aí você, Chatonilda Mendes da Silveira, dá um tapa no prato de torta, chuta o saco dele e rasga o cheque. Aos elogios e carinhos, você responde com grandes demonstrações da sua educação Suíça.

E o que você ganha? Merda nenhuma. Porque não tem jeito, e só Rivotril salva.

quinta-feira

os passeio da barata pela casa vão ter fim (ou não me chamo Pilar Batista!) diz:

Salve Salve Sua Excelência a Rainha das Bobas, Globeleza Infame dos Entediados, Big Sister Brasil dos Falsos Raladores, A Que Não Dá Uma Dentro, a Que Esconde a Maconha, a Estragadona de todas as Estrelas do Céu!

A Van que me perdoe, mas eu AMO o Coradazzi!

terça-feira

Apfelsine, a filial da Sebastiana Quebra-Galho

Hoje a dica é uma receita. Porque eu não ando com saco de falar da minha vida, que vai bem sim, obrigada.

Chegou em casa, está com fome e se prepara para afundar num prato de Miojo? Pare agora, pelo amor de Deus! Troque refeição tão nutritiva e saborosa por um Croc Monsieur, e diga adeus a porcarias como essa, ou fodedores-de-estômago, como o amigo pão com mortandela.
Anote:

Croc Monsieur

1 pacote de pão de forma
manteiga para untar
150g de peito de peru defumado*
1 pacotinho de queijo cheddar (ou o equivalente)
1 tomate em fatias
orégano
1 copo de leite
2 ovos
2 colheres de queijo parmesão ralado

Pré-aqueça o forno em temperatura baixa.

Unte um pirex retangular e disponha as fatias de pão de forma até preencher. Disponha as fatias de peito de peru, as de cheddar, e o peito de peru de novo. Agora o tomate, e polvilhe orégano antes de cobrir com as outras fatias de pão.
Bata no liquidificador o copo de leite, os dois ovos e as colheres de queijo ralado, e regue (despeje, na verdade) as fatias de pão. É, fica encharcado, sim. Leve ao forno e espere dourar.
Voilà! Agora coma quente pro cheddar não esfriar e grudar no prato.

* Claro, você pode substituir o recheio por presunto e mussarela, ou qualquer outra combinação que preferir, que deve ficar bom.

sábado

Como prometido, darei aqui a minha dica de almoço bom e barato para os fins de semana.

Lembra onde era o Pão com Manteiga, que virou La Tartine Day e agora é um lugarzinho verde? Ali é o Espeto de Bambu, restaurante ótimo que serve uma feijoada light muito boa aos sábados, acompanhada de pagode só de mulheres. Mas não vou falar da feijoada, porque disso muita gente sabe - ou pelo menos quem mora nas imediações da Haddock, já ouviu o laiálaiá que rola a tarde toda. No domingo, tem sempre umas duas opções de prato - filet mignon ao molho madeira e pintado na brasa - que dão direito a um buffet de salada ma-ra-vi-lho-so. Até meu namorado ecológico come! Custa entre R$11 e R$13, e você come o quanto quiser. Fora os espetinhos, pra quem não tem muita fome, que são muito bons.
E eu já tô me arrependendo horrores de ter dado a dica, porque, quando esse lugar começar a lotar, o preço vai pra estratosfera e eu vou ter que voltar a cozinhar de domingo.
Meu nome é Lasciva da Silva e eu penduro a calcinha na janela.

quinta-feira

É difícil descrever a sensação incrivelmente boa de se sentir bem novamente. Beira o piegas, mas fica mais próximo do cool. É conseguir conversar bem, manter o bom humor, não deixar o sarcasmo de lado e não lembrar do minhocário instalado na cabeça.
Sei lá até quando isso dura, visto o mau-humor canino em que eu me encontrava na terça. Mas vai que é duradouro? Ai, tomara!