quinta-feira

Um bar prá frente

Desci agora, na minha empreitada por um sanduíche de pernil, até o bar da esquina de cima, um bar que fica no lugar de outro, imortalizado pela marchinha "Bar Pires, Bar Pires, um bar prá frente, um bar que é quente...". Realmente, aquele lugar - o atual Veredas - tem alguma coisa de diferente. Prá começar que só tinha gente bonita - vai, pô, São Paulo é uma cidade de gente muito feia. Eu mesma estava até bem arrumada prá uma freqüentadora de boteco. Aí, do meu lado, dois caras falavam de jazz. Um deles era um misto de Kevin Bacon com um lêmur, e eu achei ele bem interessante. Do meu outro lado, um playbinha desses que faz GV conversava com dois motoboys, e em determinado ponto da conversa, começaram a dividir suas garrafas de cerveja e trocar elogios educados. Nas mesas, as pessoas viam o jogo do curíntia (tá, pecou) e discutiam a temperatura e clima da cidade onde estava sendo o jogo. O hamburguer (é, não tinha pernil) estava ótimo. A coxinha também (porra, eu to de tpm). Entraram dois pitboys, bonitos, mas pitboys e começaram a ver o jogo também. Gol do curíntia. Pitboy abraça pitboy, que o empurra e faz cara de "oooh, tá me estranhando?". Acontece.
A onda na Augusta é comer e beber...
Voltei prá casa com a sensação de que eu tenho uma séria propensão nazista.
Quatro anos depois.

Bem disse Marinuda, vou pensar na luz dourada e nas boas vibrações e em tudo o mais que não me deixar nervosa, tremendo e cheia de má-vontade. Porque eu tenho essa doença do "xapralá" quando to com medo. É uma merda, eu sei, mas me dá preguiça, e eu pedi por 8 anos prá isso acontecer, então é sacanagem eu ter preguiça logo agora.
Ehr... tá. TPM, calor, birra, vou lá comprar um sanduíche de pernil e amanhã eu conto tudo.
Eureka - o diário do que eu quero ser, agora em versão real.

Meus últimos dias foram assim:
Na segunda, fiz produção para uma matéria do Agora SP com a Luciana Vendramini. Feedback: muito bom.
Na terça, catei o Edu prá escolher roupas pro ensaio dele, rodamos os brechós e ele achou o que precisava. Feedback: fodasso.
Hoje fui munida de Vogues até a casa da Aline, pegar meu primeiro trabalho "sério" de personal. Desmontamos o armário, jogamos roupas fora e vamos fazer um tour por lojas que eu escolhi. Feedback: so far so good.

Cara. E eu AINDA to mandando currículo de redação prá quê?

quarta-feira

Se eu morasse num trailer
E usasse bandana
Would you hang out with me,
stupid?

Se eu fosse suburban dream
E fosse sua enteada
Você me espancaria
prá virar early news?

Well, nice.

terça-feira

homeowners ratepayers diz:
que bom matar as saudades de vc

pet sounds diz:
ahhhhhh quero matar TODAS

pet sounds diz:
uma coisa bem ÍNDIOS

pet sounds diz:
essaçaudade qeu çinto ditudo qeu ainda nao vi

homeowners ratepayers diz:
eu te darei espelhos e veremos um mundo doente
Now your dancing child with his Chinese suit,
He spoke to me, I took his flute.
No, I wasn't very cute to him,
Was I?
But I did it, though, because he lied
Because he took you for a ride
And because time was on his side
And because I . . .
I want you, I want you,
I want you so bad,
Honey, I want you.

domingo

eu vou dar um rolé de mooooonza bróder
não não não, não se canse
a lenda voltou.

sábado

- uma semana sem dormir direito
- uma má notícia
- duas serramaltes
- dois goles de old spekled hen
= MAH OE

sexta-feira

Ladrão que rouba ladrão que rouba cidadão...

What does Bia need?

BIA needs a new head with authority. (authoritah!)
BIA Needs You! (seja you whoever for, né, meo)
BIA needs to act quickly for homeowners ratepayers. (cara, isso vai ser nome de banda)
BIA needs to set out a vision of where we've been, where we're at and where we want to be. (indeed)
BIA needs to 'trust' the tribes in a trust relationship. (bia needs THRUST, actually)
BIA needs help, but Connecticut towns don't (Katrina neles!)

quinta-feira

Entre as coisas que mais me torram a pacênça ultimamente, está o maldito referendo e seus eleitores apaixonados. Milhares de e-mails de gente falando ?ah, eu voto sim?, ?eu hein, eu voto não?. Milhares de e-mails que, vale lembrar, eu nem perguntei.
Vamos voltar ao básico? Quando eu era pequena e meus pais iam votar, ao primeiro ?votou em quem??, meu pai já dizia que voto era secreto. Assim como eu não quero saber qual o sentido que você se limpa, também não quero saber se você vota sim ou não ou no monteiro lobato.
E por fim, acho que toda essa manifestação nada mais é uma vontade coletiva de se mostrar interessado nos affairs do país, sendo que até ontem neguinho não tava nem aí se tinha gente morrendo de pipoco na favela. Então não torra.

terça-feira

hot spots do hot spot

- Qual seu ano de nascimento?
- 1984
- Caraca, cê tem o quê, ONZE anos?
(Manoela Menezes, matemática e stylist)

-x-

- Vamos, querida, você está atrasada e precisa fazer esse cabelo!
- ???
(eu disse isso prá uma modelo careca)
Cãrino

(um puêma para Beatriz patrocinado pela TELEVISA. porque eu poderia ser roteirista de novelas mexicanas)


Era uma vez uma princesa sem castelo

que comprou sua coroa na 25 de março

mas usou-a de armadura

para não ter ,mais uma vez, seu coração, machucado

alvejado pela flecha do que alguns chamam de cupido

mas eu chamo de bebê-diabo.



Era uma vez uma donzela de botas de caubói

que por pouco não foi atropelada

porque esqueceu de atravessar a rua

para rir de uma piada.



Era uma vez mais uma Ana

de nome composto

com passado empoeirado

de terra vermelha

de fusca bem lustrado

baronesa deliquente- juvenil no meio do pátio.


Era uma vez uma menina

de vestido de babado e lacinhos no cabelo

De idade tinha só 24.

Não acredita mais em papai noel

Mas pede, em silëncio, todo natal

Um emprego com carteira assinada

Conexão de banda larga

E aquele que vai fazer massagem nos pés

ouvindo suas palavras sonâmbulas

quando silëncio já é.

segunda-feira

Hoje, sete entre 10 modelos pensaram assim de mim: filhadaputa, aposto que essa aí é mal-comida, dormiu de calça. Acontece é que modelo é que nem Lemming. Se você não seleciona um prá bloquear a passagem, eles vão fugindo. Falo sério. Uma das minhas funções hoje, além de controlar a entrada e saída do backstage, foi pegar as modelos nos ensaios, e levar pela garagem do shopping até o camarim. Eram umas 30 modelos por ensaio, e eu dei um duro prá fazer com que elas não saíssem pela porta errada, não entrassem no elevador, não descessem a rampa da garagem até a rua, não entrassem num ônibus interestadual... E olha que eu ia falando no caminho "agora vocês têm que vir por aqui, porque os elevadores dão no saguão, que está fechado para convidados". tum, lá ia uma pro elevador.
Não é preconceito, sério mesmo. Outro exemplo foi quando pedimos para cada modelo assinar um documento de uso de imagem. Acima, os dados, abaixo o contrato e a linha da assinatura. METADE veio preenchido apenas com o nome em cima. Aí você fala "não tá assinado" e eles te olham com a maior cara de "hein?".
E hoje foi só aperitivo. Tem amanhã e depois me aguardando. Torçam para eu não virar, de fato, algo que flutua com o vento, de tão vazio.

domingo

todo tipo de manifestação a esta altura será infantil e desnecessário.
(bia recolhe seu timinho de campo)
mas vai-te à porra, isso, sem dúvidas.
Amo todos vocês, hein?
Agora vou lá voar. Reflitam, ok?

sábado

pega meu pu
e enfia na sua po
peau

ahahahahah
Querido Diário,
Eu jantei umas 298047 batatas chips, sanduíche de presunto e queijo e dois chambinhos.
Vou ter doença d'Os Princesa?

Querido Diário,
Um iogue me ofereceu transgressões e eu aceitei.
Q Q 6 ÄCHÃO?

-x-

Agora a gente tem produtor, tá? E tem fotógrafo também. E tem, e tem, e tem música nova. Agora a gente é sucesso no seu dial.
(é, a gente foi obrigado a acreditar nisso)

quinta-feira

Alex Chilton - The Replacements

If he was from venus, would he feed us with a spoon?
If he was from mars, wouldn?t that be cool?
Standing right on campus, would he stamp us in a file?
Hangin? down in memphis all the while.

Children by the million sing for alex chilton when he comes ?round
They sing I?m in love. what?s that song?
I?m in love with that song.

Cerebral rape and pillage in a village of his choice.
Invisible man who can sing in a visible voice.
Feeling like a hundred bucks, exchanging good lucks face to face.
Checkin? his stash by the trash at st. mark?s place.

I never travel far, without a little big star

Runnin? ?round the house, mickey mouse and the tarot cards.
Falling asleep with a flop pop video on.
If he was from venus, would he meet us on the moon?
If he died in memphis, then that?d be cool, babe.
CHACAL, tu me aguarda!

a dEUSA da minha rua
tem cabelo que avua
tem roupa desaparecida
e não usa relógio

a gênea da minha moema
não usa diadema
tem sorriso gostosinho
e jeitinho de entrevista

a laura dos meus louros
tem neurônios de ouro
calcanhar vermelho
e bisteca do caipirinha

acho que é amô
cata a bucha
isso aí não saiu da febem não, tampouco nasceu em beverly hills. isso aí estudou comigo.
cruzes.
em duas semanas, adeus vocês população flutuante.
em duas semanas, menos 8 anos, mais 24 horas.
em duas semanas, um prazo de 3 meses.
em duas semanas, mermão, não tá passando uma agulha por aqui.

quarta-feira

resposta

eu dirijo nosso galaxie
de noite
de óculos
de dia vejo melhor
te deixo na repartição
você pode também ser a mãe.

vou virar chofer de praça
prá poder te dar todo dia
uma geléia de mocotó.

-xx-

ok, prá quem não sabe, ingressei no movimento de terrorismo poético. é simples, basta fazer poemas que são um TERRÔ.

Doce de Leite

o primeiro podcast de muitos, por MC Morfética e a Lazarenta do Funk.
ouça se tiver pacênça. (25MB meo)

segunda-feira

Texto meu, no cortiça.

um xêru em BB, que manda minhas coisas inacabadas sem que eu saiba, e as transforma em sucesso literário. é.

domingo

Das coisas desnecessárias da madrugada, depois de um toninho&freitas bem servido e 40 reais de consumação para a promoter.

"Eu saí de casa de regata, exibindo a obra de arte do senhor anacleto alado no ombro, e só notei quando era tarde demais."

Obrigada, me sinto mais leve.

sábado

Numa mesa de bar estavam: Deus, um bacuri da jovem guarda, uma fotógrafa-e-relações-públicas loira, uma sósia do Noel Rosa e uma vendedora hippie. No meio do papo, ouve-se um FON.
Quem registrou o momento prá botar no fotolog?

sexta-feira

Momento alto da noite: come on eileen. Só. (mentira, o Edu foi foda)

Não, Des Barres. Não, Faithfull. Vocês são de outra época, na minha a gente pega o estandarte, faz um caninho e "shuft". Volta prá casa bonita, falando catavento, prá ficar na internet.

Cornoman-so-so-so! Chifroné-sio-sio-sio!

Momento baixo da noite: "ô seu flanelinha, a gente é pobre... a gente só veio aqui porque era vip."

quinta-feira

Metáu

I?m thinking it?s a sign
Porque a gente ficou das 6 à meia noite
E das 8 às 4
E em todas as variações de tempo possíveis.
Sign of the times.
Eu fico revezando
Peter Pan e Bom Bocado
Que é prá ver
Se me dói menos
Sua ida pro outro lado.

:'(

terça-feira

ganhei uma blusa de gatinho de strass de mamã. e várias bijus. e um beijinho. sou feliz.
x
Você & Eu
(para o suburbano coração e para juó de bananére e para)

copo de geléia
um fusca
ladrão de galinha
no pasto
novela de pijama
so un páçaro
i vivu avuano
mas tem você
que'u amo tanto
que gosta tanto
quando abrevio
torquato (tqto)
você e eu
bordado num pano de prato.
Esperando minha mãe no aeroporto, cólica, vôo atrasado, calor sene-sene-senegal, eis que surge Elke Maravilha no desembarque, de shortinho e botas de cano alto, e aquele rabo frisée habitual.
Na hora me deu uma vontade de falar "MAMÃE!".
eu gosto tto
qdo você
abrevia tqto
O encontro com Michael

Aniversário da peste, 25 anos de ANACLETIERENSICH, ele indo embora no very same day, resolve comemorar no Unique. Tremi nas base. Porra. Só porque ele agora trabalha na Siemens e vem pro Brasil curtir a vida, eu tenho que pagar? Bom, fez-se o milagre da multiplicação. Taças de prosecco e nenhum centavo a menos no bolso, além de propostas de trabalho dos dois amigos dele. Um deles até conhecia uma boa bisca manezinha, vejam vocês.
O Michael surpreendeu. Um palhaço, de marca alemã. Um sarro. O mesmo olhar bobo do menino que afundava os pés da jacuzzi que a gente costumava invadir à noite. Adorei o reencontro, e é uma pena ele ir embora assim, tipo, daqui umas 12 horas. Tomara que ele volte para pegar as moolattas que não pegou na crack-o-lándia.

segunda-feira

Eu gosto de ter banda, no sentido focadolescente da coisa, porque aí eu posso invadir o prédio do ÜBER com a DJ MULHER e cantar Canção da América, segurando uma vagem, uma flor e um poster do MEGAMAN, prá remendar um coração.
Aí a gente desce no Real, faz a pose "olha os neo-modernos aí, gente" e vai prá casa ficar na internet.

domingo

Ele tá indo embora de novo, desta vez por muito mais tempo, senão "for good". E eu? Eu não quero falar nisso até chegar a hora. Nem fudendo.

-

E quem tá vindo, então? Que eu não sei mais se quero, que eu não tenho mais certeza de nada.

-

- Eu acho que vou começar a cobrar.
Nisso a velhinha que jantava calmamente estica o maior dos pescoços em busca da interlocutora.

-

Vem aqui comprar a passagem comigo, mehmão.