quarta-feira

Hoje eu tava andando lá pelas bandas de minha antiga residência, quando parei numa esquina prá atravessar e ouvi o indefectível sotaque ouropretense me chamando de "ôanbeátrísss!". Era a mãe da Ju, que na hora me sumiu o nome da cabeça e eu só conseguia pensar em Cida, então só me referi a ela como "tia" e "a senhora" (era Vera, lembrei depois). Tava passeando com a Isaura-cachorrinha e a mais nova adoção da Ju, a pretinha Moema. "Cuitada, tav tod chei de pulg, sab? Vei do lixão mai que tav ASSIM de sahna". Aí me perguntou quem era o bofe, e eu apresentei "ah esse é meu namorado, veio dos eua, tá passando uns tempos aqui". Como ela mora no Canadá, respondeu em inglês, e foi ele baixar prá fazer cafuné nas cachorrinhas, ela vira "ma miniiiiin que esse moss é bunit'd'mais, minha gent, vô até falá em pohtuguês messs, que nossinhó esse moss é lííínd!". O malandro tava sacando tudo, e ficou ali quietinho, disfarçando a cara roxa, enquanto eu respondia "obrigada, tia, obrigada, e a ju? tempo né? saudade..." e ela voltando no assunto "ai nossinhó!".
Nos despedimos depois de um tempo e alguns causos, e ele explode de rir, aquele riso meio besta de quem estava morrendo de vergonha, mas que não perdeu uma vírgula do que ela disse. Danado.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial